Pesquisar neste blogue

sábado, 16 de maio de 2009

FORA DA PRATELEIRA: dois "gigantes" de Ken Follett

Desde há uns tempos atrás, andava intrigada e curiosa com os livros de Ken Follett...aqueles mais "virados" para a parte da história medieval. São dois os volumes que compõem Os Pilares da Terra, com a continuação de mais dois volumes intitulados Mundo sem Fim (que não têm de ser uma continuação obrigatória, visto que a acção destes últimos passa-se duzentos anos após os dois primeiros).
Optei por comprar, em vez de quatro volumes (cada um deles a vinte e tal euros!), dois volumes (o primeiro, Os Pilares da Terra, com os dois volumes; e o segundo, Mundo sem Fim, com os dois volumes também). Estes dois livros custaram-me um à volta de sete euros e o outro à volta de onze. Fiquei maravilhada com o que consegui poupar (não só em termos de espaço nas prateleiras, como também em termos de dinheiro!). No entanto, são livros originais, portanto, escritos em inglês. Lê-se bem e estamos a treinar o nosso inglês!
Ken Follett consegue remeter-nos, na perfeição, para o ambiente histórico que pretende recriar, desde os aspectos mais simples do quotidiano das personagens até aos grandes momentos datados e comprovados pela História da Humanidade. Conseguimos vibrar e situar-nos nos ambientes das feiras, dos castelos, das florestas e das igrejas da época. Percebemos a lógica de construção das enormes catedrais...
No primeiro volume: The Pillars of the Earth, a história ocorre no interior da Inglaterra do século XII, durante a construção de uma catedral gótica e os vários personagens envolvidos directa e indirectamente na construção da mesma. Durante essa construção (que dura duas gerações), as personagens encontram-se (e desencontram-se) numa história repleta de acontecimentos que, se não fosse a documentação histórica dos factos ocorridos naquela época para atestar a sua veracidade, poderiam parecer-nos quase inverosímeis: miséria, perseguições da igreja, luta pela sobrevivência, bruxaria, ódio, vingança, desejo, erotismo, paixão e amor, são alguns poucos ingredientes que preenchem essa grandiosa narrativa. A narrativa envolve-nos até nos momentos em que não estamos a ler o livro!
Em World without a End (segundo volume) o priorado de Kingsbridge, passados duzentos anos, volta a ser palco do mesmo estilo deste escritor. A acção começa com o testemunho de quatro crianças que presenciam a morte de dois guardas da rainha, por um cavaleiro que viria a tornar-se monge, mais tarde. Um crime ao qual eles comprometem-se a manter em segredo. Apesar das diferenças sociais que os separam em plena Idade Média, pelas três décadas seguintes, as suas vidas seguem entrelaçando-se, em encontros e desencontros que geram do maior amor ao ódio mais profundo.
Paralelamente às trajectórias de Caris, Merthin, Ralph e Gwenda, entramos na história da pequena, mas promissora, vila do interior da Inglaterra, onde a lei é determinada pela Igreja, que interfere em todas as actividades, não importando se elas tenham um carácter espiritual ou comercial. Tudo é supervisionado pelo padre prior nesta terra medieval, povoada por reis e cavaleiros, servos e senhores.
Ao longo da história, o escritor menciona antigos moradores, protagonistas de Os Pilares da Terra (primeiro volume).

Diz-se que Os Pilares da Terra vai ter adaptação para uma série de televisão pela produtora do director Ridley Scott (Gladiador), com previsão de estreia em 2009. Fico a aguardar que tal suceda e apareça por cá! :)
E hoje de tarde, sei que Ken Follet marca presença na Feira do Livro de Lisboa...mas para mim, nada feito, infelizmente!
Boas leituras!

12 comentários:

Ana Paula disse...

Olá querida madrinha!!!! Mil beijocas e um maravilhoso final de semana!!!!

Teté disse...

Os livros parecem-me bem interessantes, também gosto de ler esses romances medievais. Pena os volumes em português serem tão caros, porque em inglês, confesso... tenho preguiça!

Beijocas para ti e festinhas para o Sky e a Átia! :)

Borboleta disse...

Olá minha querida! Eu já li Os Pilares da Terra. Neste caso, num só livro, pois já foi comprado há muitos anos. O livro nunca mais acaba mas devorei-o de uma forma surpreendente! As estórias são muito envolventes e descritivas! Adorei! Não sabia da continuação! Quem sabe também me aventure ;)
Beijinhos grandes :D

Porcelain Doll disse...

:P É melhor eu nem ler muito aprofundadamente o que aqui escreveste, se não lá vai a maluca a correr... estou a ler quatro livros ao mesmo tempo... :| Um deles é a metamorfose de Kafka, que se lê num instante, opá, mas um dos outros é o Código de Deus do José Rodrigues dos Santos... que cativa imenso e tu fartas-te de avançar em pouco tempo, mas é cá um calhamaço...

Beijinhos!!

tonsdeazul disse...

Olá Su! Estás boa? Já ouvi falar imenso sobre este autor e ando curiosa para conhecer e ler algo dele.

Adorei a ilustração final. É tua?
Beijinhos

su disse...

Ana Paula: Um excelente final de fim-de-semana minha afilhada e parceira de trocas! :)

Teté: Os livros são muito caros...sempre foi assim. Por isso, se puder escapar a esse "jugo"...opto pelo inglês! :) Valem bem a pena! Beijinhos grandes!

Borboleta: Pois é...é um livro que se devora e persiste na nossa memória mesmo após o termos largado! É incrível como isso acontece! :) Lê a continuação...é excelente! Beijinhos grandes!

Lenita: Andas realmente atarefada em termos de leitura...olha, eu ando com o "Let the right one in" (que é o livro do filme que ali embaixo o Márcio falou...em inglês!), ando a ler im livro com artigos de ciência...e já dá água pelas barbas, como se costuma dizer! :)
Beijinhos saudosos!

tons de azul: Olá...saudades tuas! :) Acho que vais gostar deste autor...pelo menos nestes dois volumes...o outro género dele é mais político e investigação policial ou militar. Essa parte ou vertente já não me atrai muito. :) Este desenho não é meu...mas podia ser! ;) Já fiz uns quantos parecidos! Eheheheheh Beijinhos.

Arabica disse...

Su,

é uma boa escolha!

Eu ando a desbravar "a razão de Aristóteles". Uma boa reciclagem na forma da matéria :)

Beijos

Porcelain Doll disse...

:P Tenho tanta dificuldade em ler em inglês... e nem é porque tenha pouco vocabulário, é porque supostamente deveria ir tirando umas pelas outras e acabo presa nas palavras que desconheço, mesmo sem querer e aquilo ambaralha-me o sistema todo... :P Mas tenho ali "The Roule Of Four" (A Rregra de Quatro) que comprei por três euros na Fnac (ihihihih) :D e no verão lá me ponho de volta daquilo... mas tenho sempre de reler o que li antes... enfim... :S

Beijinhos grandes, linda! ...

Cruztáceo disse...

eu também o li só num volume, as editoras andam sem guita e dá-lhes para dividir tudo, até o crime e castigo foi dividido, é um crime fazê-lo e depois um castigo comprar o 2ºvolume....bahhhh

Cruztáceo disse...

ah...ando a ler a Criação do Gore Vidal, também nunca mais acaba! puf...

rui.caeiro@clix.pt disse...

Olá. "Caí" neste blogue quando procurava comentários aos Pilares da Terra.Acabei de ler os livros e estava a desejar ardentemente que alguém faça o filme desta historia. Se fizerem algo para a televisão também está bom....eu quero é ver. Comprei o 2º volume ainda ia a meio do 1º :)
Adorei o livro e fiquei de tal modo agarrado que quaiquer 5 minutos serviam para ler mais um pouco e estou a recomendar a todos que conheço que gostem de leitura.
Nota: A musica torna a visita a este blogue muito agradável. parabéns.

tonsdeazul disse...

:) Sim, tanto que por momentos pensei que poderia mesmo ser teu.

Obrigada pela dica sobre o livro e o autor.