Pesquisar neste blogue

segunda-feira, 25 de agosto de 2008

Onde estou (?!)


O meu país sabe as amoras bravas

no verão.

Ninguém ignora que não é grande,

nem inteligente, nem elegante o meu país,

mas tem esta voz doce

de quem acorda cedo para cantar nas silvas.

Raramente falei do meu país, talvez

nem goste dele, mas quando um amigo

me traz amoras bravas

os seus muros parecem-me brancos,

reparo que também no meu país o céu é azul.


Eugénio de Andrade ("O Outro Nome da Terra")

30 comentários:

Teté disse...

Eh, eh, eh, ia dizer que estavas em frente ao PC, a comer amoras bravas e a olhar um céu azul (escuro e estrelado)! :)))

Só depois reparei que o poema é de Eugénio de Andrade...

Beijoca grande, amiga!

1/4 de Fada disse...

Adoro este poema de Eugénio de Andrade, aliás como todos os dele! Já tenho o marcador pronto e vou pô-lo no correio amanhã. Beijinhos.

Borboleta disse...

O teu país é lindo e tem grandes potencialidades! A governação é que é má :( Eu adoro o teu país que é o meu também :)

Beijinhos

bono_poetry disse...

Os navios existem e existe o teu rosto
encostado ao rosto dos navios.
Sem nenhum destino flutuam nas cidades,
partem no vento, regressam nos rios.

Na areia branca, onde o tempo começa,
uma criança passa de costas para o mar.
Anoitece. Não há dúvida, anoitece.
É preciso partir, é preciso ficar.

Os hospitais cobrem-se de cinza.
Ondas de sombra quebram nas esquinas.
Amo-te... E abrem-se janelas
mostrando a brancura das cortinas.

As palavras que te envio são interditas
até, meu amor, pelo halo das searas;
se alguma regressasse, nem já reconhecia
o teu nome nas minhas curvas claras.

Dói-me esta água, este ar que se respira,
dói-me esta solidão de pedra escura,
e estas mãos noturnas onde aperto
os meus dias quebrados na cintura.

E a noite cresce apaixonadamente.
Nas suas margens vivas, desenhadas,
cada homem tem apenas para dar
um horizonte de cidades bombardeadas.

Eugenio de Andrade

...sim existem palavras que perduram e se fazem repetir por paragens longinquas...e nao falo do eco!!!

marinaebrunaartes disse...

olà!
venho perguntar se esta tudo bem e tb dizer-te que o teu pais é lindo!!
olha o meu emais é carlamarinalopes@sapo.pt
bjs e até logo

butterfly disse...

:) belo poema,bem escolhido :)
beijinhos

gracinda disse...

Gosto muito da poesia de Eugénio de Andrade e dei com este poema, que não conhecia, há bem poucos dias enquanto fazia uma pesquisa. Engraçado encontrá-lo aqui. :)

Beijinhos bem grandes

Ana S. disse...

Onde estás não sie mas se estivesses perto esss amoras não escapavam loooool.
Beijinhos

Ana S. disse...

Ah esqueci-me de dizer que instalar o chat é facil. Só tens de te registar, personalizar com as coisas que mais gostares e depois tens um codigo que colocas no blog. A parte boa é que se tiveres mais amigos com este chat podes falar com todos ao mesmo tempo sem precisares estar no blog de cada um deles. Basta teres sempre a página do meebo ligada :)
Beijos

f@ disse...

Só O Grandioso E. de Andrade para dizer assim o nome da terra... com gosto doce e amrgo e beleza tal que o torna infinito...
beijinhos das nuvens

©carmen zita disse...

Adoro, adoro, adoro este poema (como tudo o que já li do seu autor até agora).
E olha que a música de hoje... divinal!
Beijinhos e um "até breve", amiga!

Isil disse...

Olá, desculpa a intromissão. Gostei mto do teu blog. Gostaria de ter a tua opinião sobre o meu e ser tua amiga, obrigada e desculpa se te macei. Um grande beijinho

Joker disse...

Todos os paises tem sua beleza e grandeza ... amo o meu país mesmo sabendo que tem muita coisa errada acontecendo, mas se eu não acreditar que posso mudar ele e que ele vai mudar nada vale a pena.

Na minha terra tem palmeiras onde canta o sabiá... xD

see ya ... Su

Kátia disse...

Que lindo!Não conhecia esse texto.Sempre a partilhar coisas boas conosco,que felicidade!A música então,casou direitinho,perfeição de post!
Beijo,cheiro e saudades do "meu blog" bom de se ver TEIA DA ARIANA.
E também de sua autora,claro!
:))))

titofarpas disse...

Este poema é delicioso...
Parabéns pela escolha.
Beijos

Matchbox31 disse...

Boa escolha! Parece-me bastante apropriado este poema...

Lena disse...

Ola!!!!

Ja pobliqui as parceiras, vai ate ao meu blog ver quem e a tua...
Obrigada por participares...
Bjs Lena:)

Ana Lourenço disse...

Minha querida, ainda não tive tempo para fazer o teu marcador e enviá-lo, mas esta semana faço isso!

Beijinho

Giane disse...

"Eugenio de Andrade".
Um novo nome para poemas que vou explorar e conhecer melhor.

Beijos mil, Su!!!

marinaebrunaartes disse...

olá su!!que é feito de ti?
passa no meu blog assim que possas e deixa-me uma mensagem para a nossa troca ok?bjs

Cláudia Jacob disse...

Oi, Amiga! Passa no meu blog de troquinhas para ver as fotos da Troquinha para marcar, a que mandei e recebi, bjs.

Cruztáceo disse...

deixo um fio ténue: falei com a outra parte do apontamentes, em principio o projecto proposto já tem pernas para andar. Falta apenas a disponibilidade.

Gerlane disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Gerlane disse...

Ainda não conheço Portugal, mas gosto de amoras e gostei muitíssimo do texto de Eugenio, bem como da fotografia.

Uma ótima semana pra ti!

Beijos!

sandrinha disse...

Olá Su!

Eu já voltei de férias e já andei a tentar "conhecer-te" um pouquinho.

Logo que possível vou deixar no meu blog os dados para a troquinha.

Depois envia-me para o mail ou deixa aqui no seu blog.

Beijocas!!!

Oliver Pickwick disse...

Há quanto tempo, hein? A última vez que nos "vimos" o Pink Floyd ainda tocava em barzinhos universitários.
Texto primoroso.
Um beijo!

Cruztáceo disse...

NOTA
alteração ao blog

http://crostaceo.blogspot.com/

marias disse...

E que deliciosas são as amoras bravas do meu país!...
E é quando nos picamos nas silvas e apanhamos amoras, mesmo que bravas, que sentimos toda a sua doçura!...
É tão lindo o meu país!...

Eugénio de Andrade...poeta do meu país...sempre actual!

Espero que esteja tudo bem contigo!...De preferência a gozar umas férias maravilhosas e merecidas.

Beijos

O Lápis disse...

Ariana,


Lindissimas estas palavras de Eugenio de Andrade, embora eu ame todos os dias os muros brancos do meu país...e as veredas...e as falésias recortadas sobre o mar!


Um beijinho

bono_poetry disse...

...onde estas?