Pesquisar neste blogue

quarta-feira, 2 de dezembro de 2009

NA TELA DA TEIA: 3 em 1!

Três bons filmes que recomendo, diferentes nos seus conteúdos e excelentes em cada uma das suas diferenças. A ver:

1) MOON, do realizador Duncan Jones (2009) - Ficção Científica/ Thriller
No papel principal ( e quase único) encontramos o actor Sam Rockwell que desempenha brilhantemente um astronauta que está numa base lunar, onde trabalha para tornar a Terra num planeta menos dependente do petróleo. A chegar ao fim dos seus 3 anos de contrato, vê-se confrontado com possíveis ilusões e paranóia, tendo apenas um computador inteligente para o acompanhar (voz do actor Kevin Spacey). A acompanhar as sensações de claustrofobia e de pura solidão escutamos, ao longo do filme, uma tocante música de Clint Mansell que engrandece a experiência existencialista deste filme. Com pormenores de realização fotográficos muito bons.
2) OS HOMENS QUE ODEIAM MULHERES - Niels Arden Oplev (2009) - Thriller

Este é o primeiro filme baseado na trilogia Milenium do escritor sueco Stieg Larsson e conta a história de "Mikael Blomkvist, um jornalista de meia-idade, divorciado, que tem passado a sua vida a denunciar a corrupção do mundo dos negócios de Estocolmo na sua revista Millennium. Quando Henrik Vanger, um poderoso empresário, o convida para um trabalho de investigação, Mikael tem nas mãos material irrecusável. Mas para sua surpresa descobre que, desta vez, esse material não tem nada a ver com escândalos financeiros, mas com o desaparecimento da sobrinha do empresário, Harriet, 36 anos antes, num encontro de família. Com a ajuda da sua nova e rebelde parceira, Lisbeth Salander, uma hacker de alto nível com problemas de comportamento social, irão desvendar muitos segredos da família de Henrik, até então escondidos na penumbra." Há muito tempo que não assistia a um enredo tão viciante e intrigante, que nos agarra do início ao fim do filme. Com reviravoltas no final, umas atrás das outras! Muito bom!

3) (500) - DAYS OF SUMMER, de Marc Webb (2009) - Comédia Romântica (q.b.!)
Um aviso: "Esta não é uma história de amor, mas sim uma história sobre amor." Desde o início, assistimos a um enredo narrado de forma não linear, que avança e recua no reconto desta história amorosa que envolve Tom (um rapaz romântico que escuta os clássicos musicais dos anos 80...sendo que se apresenta esse facto como o motivo para a sua tendência depressiva) e Summer. Uma história comum que nos faz identificarmo-nos em muitos dos pensamentos e atitudes das personagens: os pormenores físicos e psicológicos da pessoa amada; uma frase; os mesmos gostos musicais, e por aí fora. É de salientar a brilhante originalidade de realização ao presentear-nos com cenas animadas (como se fossem separadores dos dias que passam) ou de um momento musical que envolve Tom, ou até mesmo depoimentos que levam as diversas personagens olharem directamente para a câmara. Todos estes momentos acompanham o estado psicológico de Tom (do mais alegre ao mais deprimido, de acordo com o estado da relação com a estranha e apática, mas amada e odiada, ao mesmo tempo, Summer). Excelente! E tomem atenção à banda sonora.

6 comentários:

Anónimo disse...

A Sra. tem jeito para escrever reviews. :)
Bjs,
Carlos

Teté disse...

O primeiro não me entusiasma por aí além, mas os dois últimos parecem-me bastante interessantes.

Embora preferisse ler primeiro os livros do escritor sueco, porque se vejo o filme, já o livro não me prende tanto. E os livros costumam ser melhores que os filmes, no meu entender...

Beijocas, Su!

su disse...

Obrigado Carlos...eu gosto mesmo é de ver os filmes!! Eheheheheh!

Pois...o meu objectivo é chegar mesmo aos livros. Penso que devem ser feitos mais dois filmes visto que o Millenium são três livros! Bjs Teté!

Joana disse...

Que bem, com sugestões cinematográficas!!! E óptimas sugestões para esta altura em que temos de ficar por casa por causa do mau tempo!
Beijo.

Matchbox32 disse...

Excelentes sugestões! Logo que tenha tempo, tenho que vê-los.

Beijinhos!

su disse...

Temos de ocupar da melhor forma os nossos poucos tempos livres! Para mim, cinema é uma delas!