Pesquisar neste blogue

quinta-feira, 26 de junho de 2008

VENENOS DE DEUS REMÉDIOS DO DIABO

"Em que preciso momento a pessoa adormece? Quando perde o mundo, tombada no fundo da alma? Quando apenas lhe sobra uma derradeira fresta de luz, ecos de vozes sopradas de tão longe que parecem rumores de anjos?"Desta vez, foi a apresentação do novo romance de Mia Couto "Venenos de Deus, Remédios do Diabo" (apresentação realizada por José Saramago), que nos levou de novo a Lisboa (a mim e à Gracinda), mais propriamente à nova livraria Byblos na zona das Amoreiras, na terça-feira (24 de Junho). Deixem-me dizer-vos que é uma espécie de super livraria que oferece diversos serviços, e com uma qualidade excepcional. Desde a área da Literatura em várias áreas, Infanto-Juvenil, BD - Merchandising, Quiosque (com mais de 2500 títulos de revistas), Música e Filmes, Videojogos, Cafetaria, Auditório e com muitas zonas agradáveis de leitura, espalhadas pelos dois pisos.
A apresentação foi realizada em directo para a RTP África, com a presença, na mesa dos oradores, de José Saramago, Mia Couto, o Embaixador de Moçambique e Severino Coelho (Editorial Caminho).
foto por Alex Gandum
Otis, saxofonista moçambicano, abriu caminho à palestra com a apresentação, ao vivo, de um dos seus temas do álbum "Otis in the House".
foto por Alex Gandum
A actriz Patrícia Abreu fez as honras da casa lendo admiravelmente excertos deste novo romance de Mia Couto. E Severino Coelho iniciou a apresentação do " lançamento do livro de Mia Couto com a prata da casa": José Saramago.
"Aos 10 anos todos nos dizem que somos espertos, mas que nos faltam ideias próprias. Aos 20 anos dizem que somos muito espertos, mas que não venhamos com ideias. Aos 30 anos pensamos que mais ninguém tem ideias. Aos 40 anos achamos que as ideias dos outros são todas nossas. Aos 50 anos pensamos com suficiente sabedoria para já não ter ideias. Aos 60 ainda temos ideias mas esquecemos do que estávamos a pensar. Aos 70 só pensar já nos faz dormir. Aos 80 só pensamos quando dormimos."


Saramago contestou, de um modo muito prazenteiro, especialmente a última frase deste excerto. Aconselhou a que numa 2ªedição se corrigisse e escrevesse que "aos 80 se sonha quando se pensa." A propósito desta frase, falou do seu livro que está a escrever "A Viagem de um Elefante", e comparou a pessoa de 80 anos a um animal ao qual tentamos descortinar os seus sentimentos e as suas emoções. O escritor põe o animal a sentir e a pensar. E fazêmo-lo no sentido de o tornar uma personagem interessante, apesar de ser sempre um risco enveredar por este caminho. Acrescentou que "uma pessoa de 80 anos deveria ser deixada em paz, pois ainda tem muito que resolver no pouco tempo que lhe restará, sem ser analisado na lamela microscópica." Apresentou o universo das personagens deste novo romance e salientou que está a gostar muito do livro, que "está escrito numa prosa límpida, quase transparente". A dada altura, Saramago volta-se para Mia Couto e diz:" Meu caro Mia, eu acho que sim, que é um grande escritor. O Mia Couto é uma magnífica pessoa quanto um magnífico escritor."
Como nasce este livro?
Mia Couto refere que "tropeçou na idade, que foi assaltado pelo tempo" e que isso conduziu-o a escrever este livro. Teve de transformar este assunto não resolvido em história, sentindo que ao fazê-lo soltou amarras do seu estilo de escrita, como se estivesse a escrever pela primeira vez. Novamente, Saramago surge em espírito brincalhão de contradição, enquanto afirma que não acha que este seu novo romance fuja ao seu estilo. Quanto mais "uma tentativa de fazer outra coisa. Fez o mesmo contando outra história. Afinal, ele não pode, como quem não quer a coisa, renegar os vinte livros que escreveu até ao momento. Este livro poderia ser, no máximo, um atalho então. Tudo o mais serão sempre fantasias de escritores. Caprichos de escritores!"
Capricho ou fantasia, ainda bem que o soltou...Mia Couto conduz-nos de um modo completamente absorvente através da sua já conhecida prosa poética, e da neblina de Vila Cacimba, que atraiu, vindo de Portugal, o jovem médico Sidónio Rosa, em busca de Deolinda, uma mulata moçambicana, que conhecera num congresso médico em Lisboa, e por quem se apaixonou. Na sua terra natal, encontra os pais de Deolinda: Bartolomeu e Munda, e é lá que espera pacientemente pela sua amada. Deolinda está fora, realizando um estágio que se prolonga, cada vez mais em páginas de mistério, adensadas pelos diálogos filosóficos de Bartolomeu. Munda vive entre o amor e o ódio cegos.("- Continuam brigando?/ - Felizmente, sim. Já não temos outra coisa para fazer. Sabe o que penso, Doutor? A zanga é a nossa jura de amor.") A casa onde este casal mora é o centro voraz de um universo misterioso, de segredos e de mentiras, de amor e da morte, de penumbra, de anseios e de vozes do passado. E é o passado o maior paciente que Sidónio Rosa pode ter que tratar, através da estranha mensageira de vestido cinzento...aquela que quer semear as flores brancas por toda a Vila Cacimba: beijos-da-mulata, flores do esquecimento...
" - Cure-me de sonhar, Doutor.
- Sonhar é uma cura.
- Um sonhadeiro anda por aí, por lonjuras e aventuras, sei lá fazendo o quê e com quem... Não haverá um remédio que me anule o sonho? (...) Todos elogiam o sonho, que é o compensar da vida. mas é o contrário, Doutor. A gente precisa do viver para descansar dos sonhos.
- Sonhar só o faz ficar mais vivo.
- Para quê? Estou cansado de estar vivo. Ficar vivo não é viver, Doutor."

31 comentários:

Matchbox31 disse...

Para começar, adorei o nome do livro. Isso do dEUS e do diabo, é muito relativo, qual é um e qual é outro, é apenas uma questão de ponto de vista...

O Árabe disse...

Sinto falta destes eventos culturais, que por aqui quase não existem. E concordo, sim: estar vivo nem sempr é viver, nem sobreviver... pode ser apenas subviver.

CZ disse...

Como eu gostava de também ter ido!
Acho o nome do livro muito sugestivo e achei a capa impecável, assim que a vi.
Beijos saudosos, amiga!

su disse...

matchbox: Tem um nome bem sugestivo...pois, essas questões das divindades e dos seus perfis psicológicos depois dependem de cada um. Dos interesses, da fé e da ausência dela também! Beijinhos.

árabe: Gostei dessa expressão: "subviver"...ainda não tinha pensado nela...mas realmente dá que pensar. Com todos os motivos para tal. Beijinhos.

cz: Acho que era um género de evento que irias gostar, também. Foi muito agradável. Vais adorar a Byblos quando a vires. E os teus putos também, visto que na parte infanto-juvenil tem um barco grande para eles brincarem, com jogos, tem uma casinha na árvores e coisinhas assim do género! É uma ideia! ;P
vais gostar do livro. Tenho a certeza. Quando o leres, em breve, vais dizer-me a tua opinião. É muito mais do que a capa e do que o título...apesar destes serem bem sugestivos. Beijinhos igualmente saudosos.

© efeneto disse...

Depois de um período de colocação de ideias e palavras em dia, estou de volta às visitas regulares. Ficam aqui palavras e um convite. Voltarei.
Beijos e abraços para passarem um fim-de-semana na companhia da família ou da sua própria.
***
Quem passa por mim
não vê
que homem aqui chegou,
só viu matéria por fora
por dentro nem se lembrou.
Só quero ser, por ora,
um homem que sabe amar,
solitário na solidão
sem inspirar comiseração.
Não me afundarei
em qualquer rio revoltoso.
Nenhuma onda ou túnel
escurecerão a minha vontade.
Sou eu, inteiro e sem ódios
que o meu coração não guarda.
Serei amanhã o que for
com os amigos em meu redor.

**
Se quiser passar um fim-de-semana com letras, leia a:
H¡S†Ö®¡Ä ÐÄ MËN¡NÄ †®¡S†Ë

gracinda disse...

Não vou esquecer esta conferência, sobretudo por ter ficado meio envergonhada quando pedi o autógrafo ao Mia Couto. Deve ter sido pelo respeito e admiração que tenho pelos escritores(consagrados ou não) e por todos os que sabem combinar de forma tão harmoniosa as palavras com o pensamento, emoções e estados de espírito. Eu... Às vezes até me parece que penso sem palavras.

E quando digo estas coisas, parece-me que não fazem sentido.

Beijo grande

O autógrafo já tenho, agora só falta mesmo ler o livro. :)

su disse...

@efneto: Muito obrigado pela visita e pelas palavras. Fiquei curiosa com a história da menina triste. Bom fim-de-semana.

su disse...

gracinda: Engraçado dizeres que por vezes sentes que pensas sem palavras...é que parece mesmo isso quando não conseguimos atribuir voz aos nossos pensamentos...parece que ficam sem palavras. Será que conheceremos a voz dos nossos pensamentos? Muitas vezes, ou pelo menos algumas, penso nisso. Como se eu não tivesse nada melhor ou mais importante para pensar...mas insisto. Será que conhecemos a sombra da voz dos nossos pensamentos? Mas também podemos pensar com imagens, com associações, com abstracções, sem as palavras materializadas tal e qual como nós as conhecemos...apesar disso, o espírito da comunicação está sempre lá, não achas? E tu, pelo contrário, tens imensas palavras aí dentro de ti, que são caracterizadas por uma coisa muito importante: Bom Senso. Outra coisa: Lucidez.
Verdade?
...
Então...toca a ler o livro que tem "palavras" muito bonitas. E tu com o teu poder imenso de abstracção, de certeza, que vais construir imagens ainda mais bonitas. Não duvido disso. Eu, por cá, ainda estou à volta dos Sapatos de Rebuçado e a deliciar-me com todas as palavras que me levam a sair de mim mesma.

Beijinhos bem grandes...e até amanhã(?!).

Teté disse...

Convenceste-me completamente, Su. Não só em relação ao livro do Mia Couto, como em relação a esse espaço que tem tudo para soar aprazível. Até essa citação de José Luis Borges parece dizer tudo: "Sempre pensei que o paraíso fosse uma espécie de livraria."

Ainda por cima ao som do saxofone? Que boa onda!

De qualquer forma, nessa espécie de "desacordo" entre Saramago e Mia, suponho que ambos têm razão. Mia estava a falar das pessoas em geral, Saramago de excepções à regra, como ele próprio...

Belíssimo post o teu, sobre um dos temas que mais gosto: livros!

(vou fazer uma 2ª prateleira de livros a ler, porque já tenho uma cheia, com alguns livros que nem me apetece muito ler - foram-me oferecidos; daí afastar uns quantos para 2ª escolha, para ter espaço para colocar estes, que me interessam mais...)

Beijocas para ti, Su, e festinhas ao Sky e à Átia!

su disse...

teté: Ainda bem, então, que te convenci a ambos. Não te arrependerás nem de um nem de outro, de certeza. Tenho de voltar a colocar uns quantos livros e filmes fora da prateleira aqui da Teia, porque também é bom partilhar estas coisas de modo a conhecer outras e mais ainda.

Pois, parece-me que sim...enquanto o Mia queria falar de uma coisa, mais a um nível bem geral, Saramago relativizava as coisas puxando a "brasa à sua sardinha" (e já que estamos em época de festas populares...esta expressão deve calhar sempre bem!). Muito bem visto.

Os livros não deviam ser obrigatórios de serem lidos (e contra mim falo, que na minha profissão sou "obrigada" a exigir que leiam determinados livros!!)...que se comece sempre pelos gostos e vontades, para abrir com todo o gosto as páginas do coração!

Beijinhos grandes, e bom fim-de-semana.

Azer Mantessa disse...

a worthwhile presentation it seems

have a nice weekend

su disse...

azer: Thanks. It was really worthwhile. Mia Couto is an excellent writter! Kisses.

gracinda disse...

E tu consegues materializar até mesmo as palavras dos outros. Neste caso, as minhas.

Lucidez? Não sei... Às vezes pareço-me tão confusa. ;))

Beijinhos grandes... e até amanhã.

Menina do Rio disse...

A gente precisa sonhar, pra descansar da vida...

Tem uma fatia de bolo lá em casa

Beijinhos, Su

su disse...

gracinda: No meio da floresta do emaranhado descortinamos sempre o fio da meada, com a tal calma e lucidez que tens sim senhora. :))) As palavras que são tuas estão lá. O que outros, como eu, podem fazer de vez em quando é apenas traduzir. Beijinhos grandes.

su disse...

menina do rio: Já deixei os meus parabéns à tua Aline e candidato-me assim à fatia desse bolo de chocolate tão apelativo! Ainda para mais de chocolate...ora, ora...sim, mas o sonho tanto pode descansar como fazer cansar...depende do que exigirmos ao sonho! ;)
Beijo grande.

Gerlane disse...

Não li muito Mia Couto, contudo, o pouco que conheço é de excelente nível textual.
Quanto à livraria, que bom existirem espaços como esses! Aqui em Recife, nós temos uma semelhante: a Livraria Cultura, que sempre promove esses eventos.

Um bom fim de semana! Beijos!

su disse...

gerlane: Um bom fim-de-semana. É óptimo ter a possibilidade de participar neste género de eventos. É uma porta que se abre à rotina do dia-a-dia e alimenta de outra forma a alma. :) Aconselho vivamente Mia Couto. Então a sua poesia...é linda! Beijo grande.

Papoila disse...

Querida Su:
Fiquei com uma enorme vontade de lá ter estado e ouvir Saramago e o Mia. Quanto ao livro, é do Mia por isso vou ler. Obrigada pela tua perspectiva.
Beijos

su disse...

papoila: É provável que o Mia Couto passe aí pelo Norte...ou se calhar já por lá esteve...mas o livro fica sempre connosco. Vale muito a pena. Um beijo grande aí para o campo florido.

Kátia disse...

Su,estou ENCANTADA com o post!

A sua paixão(que é também minha) por livros salta aos olhos.Deu-me até umas idéias...

E o Mia Couto?Que bem,pois não?Adorei os trechos,as citações e vou "copiar" o excerto do Saramago para uma nota em meu blog(posso?).Olha,saio daqui satisfeita,na certeza de que os blogs todos que agreguei ao meu espaço são verdadeiramente "P'ra se ver e p'ra se gostar" e MUITO!

Obrigada pela excelente partilha!

Beijo*!

--Olha aí,hoje eu sou a 20!Lembra dos "meus" números?Pois!
:))))))))

Kátia disse...

Ahhhhhhh fui a 21...mas,não tem mal.
;)

su disse...

Kátia: Estou curiosa com as ideias que te surgiram...é, os livros são uma das minhas grandes paixões...não passo sem estar a ler um livro...e agora a Teia vai começar a ter tempo para uns quanos FORA da PRATELEIRA. Claro que sim que podes levar daqui o que quiseres...está à vontade, amiga. Com todo o gosto. Nº21 e 22...interessa é que és sempre a linda kátia que conheço!! :))
Recebeste a foto que te enviei?! :)

Boneca de Porcelana disse...

Ouve... se fiquei parva com o teu post de dia 27 mais parva fiquei com este final... Mia Couto e o tipo de ambientes não me chamam, de facto. Já o mesmo não se passa com Saramago... foi deliciosa esta tua descrição.

Eu neste momento diria exactamente o mesmo que este "sonhadeiro" do excerto... sonhar é bom, mas viver... é tão ou mais importante que sonhar. Compreendo a necessidade dos sonhos, mas também já pedi um remédio que mos anulasse...

Linda, vantagens de morar perto da capital!! ;-)

Beijo!

su disse...

lenita: Muitas vezes temos de fazer os esforços necessários para equilibrar as exigências ou do sonho ou da vida...parece-me que andam tão interligados que outras vezes não os consigo separar da vontade ou do desejo. Misturam-se com tanta força, que cedo ou mais tarde, parece que os vivo...demore o tempo que demorar e claro depende do que sonhar...é complicado isto...só experienciando.

Experimentaste os livros certos de Mia Couto? Olha que vale muito a pena. ;))

Porcelain Doll disse...

Ihih, se calhar não experimentei os livros certos de Mia Couto...
;-)

Minha querida... sim, eu sei do que falas... neste momento posso dizer-te que sei do que falas... mais cedo ou mais tarde acabamos a vivê-los... começo a vivê-los agora... ou será que sempre os vivi e não sabia?

Talvez agora tenha apenas a consciência disso... mas é absolutamente delicioso, não é?

Bjoka grande!

muguet disse...

querida su...mia couto e saramago juntos????? e eu perdi isso???
é que nem lá, nem na rtpafrica :((
enfim, nada a que já não esteja habituada :S

desde o título realmente sugestivo, até ao prazer de "sonhar quando se pensa"... uiii, não posso perder isto.
chego à conclusão que a vida é muito curta para tudo o que quero viver. fome de vida, acho que é isso...
fome de vida, de paixão, de música, de ler, de escrever, de partilhar, dos amigos, fome...fome!!! de sol, de praia, de mar, de partilha de tudo isso.

su, lenita, Amigas, ando desaparecida, apaixonada pela vida e não só...vivo no mundo da sonhos, sonho enquanto penso, penso enquanto sonho...ando feliz...FELIZ!!!

descobri que há sapinho que se transformam em principes... afinal esta conversa nos levava... ;)
descobri que vale a pena ousar sonhar, porque o mundo pode ser tudo o que sempre quisemos...

beijo enorme para as minhas duas meninas lindas...com sabor a quando é que vêm cá passar uns dias????? a minha casa é uma tenda de campismo gigante, onde cabe sempre toda a gente e onde toda a gente tem direito a um prato de sorrisos na mesa :D
...fico à vossa espera :))
ahh...su, com direito a um lugar na mesa para o teu taleisin ;)

su disse...

lenita: É absolutamente delicioso sempre que tomamos consciência seja do que for...é a tal sensação de poder e controlo das nossas próprias vidas, do nosso EU! :)))

su disse...

muguet: Assim é que é...a vida é mesmo feita para ousarmos, arriscarmos e sonharmos ao mesmo tempo...não se paga nada por sonhar e só s epode receber decepção ou vitória...mas uma como a outra são meras etapas do que ainda nos falta viver e também sonhar. Fico muito feliz por andares a saborear a vida dessa forma. Aproveita-a bem. Muito bem, querida amiga!
E muito obrigado pelo convite...um dia destes vou aí provar o prato de sorrisos...talvez leve o taliesin...mas eu de certeza irei...com todo o gosto e vontade! Muito obrigado...e quando é que vens cá abaixo?!

Beijinhos grandes.

Porcelain Doll disse...

Meninas... reparem... a casa da minha avózita é mesmo pertinho da casa da Su... hummm... isto pode abrir algumas possibilidades... Su... quanto a nós as duas aquela possibilidade de nos juntarmos no Entroncamento e seguirmos para o Porto continua de pé... um destes dias, é mesmo só uma questão de combinar, digo eu...

MENINAS!!! FARRA À VISTAAA!!!

Beijooo!!!

Porcelain Doll disse...

Claro que também nos podemos juntar todas cá em casa... olha, como aqui a minha terrinha é a meio caminho, até podíamos fazer assim para começar... não se esqueçam que eu na segunda metade de Julho tenho a casa toda só para mim ehehehe!!

Muitas possibilidades, agora é só optar por uma!! Por onde querem começar?? ;-)))