Pesquisar neste blogue

sexta-feira, 21 de setembro de 2007

O OUTONO

O Outono é um peão do Inverno,
Chega e reparte cartas,
Desnuda as árvores e os sentimentos,
Veste de cinzento a imagem momentânea,
Do poente e, no fardo descaído das tardes,
Fulmina as folhas, que planeiam, rendidas,
Como aparições sem volume,
Incumbidas de designar,
O gesto intolerável de uma impotência e uma derrota.


Nos decepcionará a primeira imagem,
Do ignóbil que oferece,
O Outono é unicamente um peão do Inverno.


As minhas estações são aqui, na minha ilha,
O mito do idêntico: “um eterno verão”,
E o Outono é o cinzento.
O leito pródigo das folhas,
A larguíssima soma de uma tristeza,
Mais além do espaço em que habitas,
À distância de um pensamento.


Enquanto no Verão tudo é inocente,
No Outono tudo é sombrio,
Também, não se anuncia cerimonialmente,
Como a primavera que surge simplesmente,
Deixando-nos instalados na perplexidade de que o tempo se desvaneça.


Não se pode duvidar que o Outono,
Possui o mais assombroso poder de transformação,
Figura inteligente que altera,
A natureza, o homem e a mulher,
Move sentimentos, arranca amores,
E nos deixa desnudos diante o frio da solidão.


poema por Taliesin
Noutras culturas, noutros tempos, celebrava-se, hoje, a Festa de Avalon, ou a Festa das Colheitas ou o Mabon (terminologia celta). Era pedido a Mabon ou a Angus (Deus do Amor) a harmonia no Amor e a protecção para as pessoas amadas. A Roda está em equilíbrio entre a Luz e a Escuridão, O Verão e o Inverno... Faça-se os altares enfeitados com sementes e forrados com folhas secas. Agradeça-se o que se tem (mesmo que nos pareça ser pouco) comparado com aquilo que os outros precisam e não têm...e os antepassados, guias e espíritos familiares deixarão os seus conselhos.
Guiem-se pela Noite e detenham-se no brilho da Lua dos céus de hoje...
As suas bençãos para todos vós!

19 comentários:

Filipe Oliveira disse...

Olá.
Realmente é impressionante o poder de transformação, a Natureza prepara-se para hibernar.

Gosto do novo blog, calculo o trabalho para colocar tudo certo.
Bjs

Dark Blue disse...

Infelizmente o tempo não é muito. Vim aqui só para te linkar. Prometo que volto com mais calma, mas para já Depeche Mode é algo que me atrai muito.

Já agora entrego em mãos o prémio pela descoberta, é estranho como alguém que faz música daquela acaba a cantar "Como o macaco gosta de banana" não é?

Fica Bem!

Teté disse...

Magnífico poema, Taliesin!

A Natureza e a Humanidade a despojarem-se de folhas e sentimentos, em sincronia...

O Outono faz-me sempre recordar um outro poema que decorei em criança, que começava:
"Fim de Outono... Folhas Mortas...
Sol Doente... Nostalgia..."
De Fernanda de Castro.

E o texto da Festa das Colheitas, a relembrar a magia das "Brumas..."

Música e imagem perfeitas para ilustrar esta nostalgia de início de Outono!

Jinhos para ambos e um "rauf, rauf" para o Sky!

.:mÁrCiO:. disse...

Fantástico... excelente mesmo!

Thiago Forrest Gump disse...

Minha estação favorita!

mixtu disse...

me guiaré pela noche

miraré la luna

y que venga elle... el amor otoñal...

abrazo europeo

Papoila disse...

Querida Su!
Poema fant�stico de Taliesin!
Nesta noite fresca que o Outono traz as folhas come�am a cair mas a Lua essa no seu brilho vela por n�s...que os velhos deuses nos protejam.
Beijos l� do campo

ZezinhoMota disse...

Caí de para-quedas e gostei de te ler um pouco, irei regressar.

Que tenhas um feliz domingo.

ZezinhoMota

Azer Mantessa disse...

prosa agradável, canção agradável e retrato agradável

tq :-)

Borboleta disse...

Um texto lindo, a condizer com o Outono...
Bjs.

CZ disse...

Adoro o Outono, muito, mas mesmo muito mais do que o Verão!
Belo poema, Taliensin.
Uma boa Estação do Leito Pródigo das Folhas para vós!
CZ

su disse...

CZ e Thiago Forrest Gump: Realmente, estas estações intermediárias são as minhas preferidas também. Não encontramos os excessos temporais das outras estações e tudo o que é ameno torna-se-me mais agradável. para além das cores típicas desta estação que são romanticamente lindas. Obrigado, amiga.

Borboleta: Este poema traz o Outono em cada palavra deitada... É verdade. ;)

Azer: Português então?! ;) Sim, é uma composição escolhida em parceria com o próprio autor do poema, extremamente harmoniosa.

Zezinho: Seja bem-vindo...de páraquedas ou de fio em fio...e uma boa semana para ti! :)

Papoila: Tudo o que a Natureza nos traz e nos dá...será sempre uma protecção de certeza. O Homem é que o esquece tantas e tantas vezes...

Mixtu: Olhar a Lua traz sempre, um dia mais tarde, o que se lhe pede...depende da "fé" que se deixa na conversa com ela! ;)

Márcio: Sim, é realmente fantástico...as palavras estão lá todas!

Teté: O Sky enviou lambidelas carinhosas e gostou de ser lembrado! Nós agradecemos os beijinhos e as palavras atenciosas. De facto, existe para além dessa beleza a tal nostalgia que é única nesta estação...as cores dentro da casa brilham de outro modo, noutros ângulos...e tudo nos soa a outros tempos...

Dark Blue: Obrigado pelo prémio em mãos. É verdade como é que os músicos se transformam e mudam conforme as playlists ou o que quer que seja. :)

Filipe: Trabalho de limpezas na outra Teia para uma nova Teia sem problemas "tecnológicos"...que os tempos são de preparação e de "hibernação". :) mas tens uma música excelente no teu blog que eu já ouvi! ;)

Taliesin disse...

Obrigado a todos pelos elogios relativos ao poema...e um beijo muito especial para a minha Deusa.
:-)*

su disse...

Todos os elogios (palavras) são poucos para a verdadeira qualidade e intensidade deste teu poema.
A tua "Deusa" é uma "felizarda"!

mixtu disse...

não sou rapaz de fé...
yayaya

abrazo europeo

carteiro disse...

Ah... o Outono :)
Para mim, por razões óbvias, o segundo verso já diz tanto! Gostei do poema.
É engraçado como o Outono é a estação do ano em que me há mais particularidades, como ouvir certas e determinadas músicas só nesta época. Mesmo não sendo a minha estação favorita, é a única onde tais particularidades acontecem.

su disse...

carteiro: Vês?! Acabas por ser homenageado espontaneamente algures num fantástico poema sobre o Outono!
Cada estação tem as suas características que lhes são tão próprias...o Outono é especialmente nostálgico!

tonsdeazul disse...

O Outono para mim é uma estação muito especial. É nostálgica, colorida, fresca e tantas outras coisas.
Este poema trouxe-me à memória outros tempos passados. :)

su disse...

tonsdeazul: Muitas vezes a memória também precisa de ser posta em dia, especialmentre se trouxer ao de cima lembranças bonitas... :)