Pesquisar neste blogue

terça-feira, 25 de setembro de 2007

QUEM SÃO OS ANJOS...

I

Ouviste?
Sou um anjo triste
Que perdeu a sua voz.
Não me vês.
Mas sou eu
Quem te dá a mão
Quando estás a sonhar.
Não me sentes.
E sou eu quem te molda
E faz nascer,
Do barro
Que deixei
Há muito tempo atrás.
A tua vida
Corre com os meus dedos
Uma estrada por caminhar.
Ainda não me ouves?
Não faz mal.
A felicidade espera
Por quem sabe sonhar.


II

Esperas por mim, Cassiel
Quando te fores embora?
Leva-me contigo, Cassiel.
Dá-me asas brancas
Para te acompanhar.
Dá-me céu para cultivar
Uma esperança
De qualquer coisa melhor.
Vela-me, Cassiel.
Ter algo de verdadeiro
Para dar ao mundo.
Aquele que me quiser.
Queres-me tu, Cassiel?
Dá-me asas para voar.
Na tua cegueira terrestre
Serei teus olhos humanos.
Dá-me pureza.
Dá-me a mim, Cassiel.

Susana Júlio


in RISCOS QUE FICARAM NO TEMPO/ JOGO DE ESPELHOS
de Susana Maria Júlio e Carmen Zita Ferreira.

13 comentários:

Noite disse...

Conta uma velha lenda que a cova que temos no centro do lábio superior, logo abaixo do nariz, é a marca do dedo de um anjo, que antes de nascermos nos coloca o dedo sobre a boca e nos diz "Xiu, não contes nada do que viste aqui..."

Borboleta disse...

:D Gostei da lenda... Anjos... tenho um :)

Som Do Silêncio disse...

Vim aqui parar por mero acaso e gostei de ler o teu cantinho.
Voltarei com tempo.
Um Beijo Matinal

Eduardo Jai disse...

O mito/símbolo (ou o que cada um lhe quiser chamar) de Cassiel é muito bonito. Gostei da forma como transpuseste para palavras o teu sentir.
Embora o meu amigo favorito seja o Uriel (segundo nome do meu filho Afonso) o Cassiel até que é um 'dude' bastante... cool. :))

Não conhecia a música dos Arcana. Fizeram-me lembrar um pouco os Dead Can Dance (de quem sou um incondicional ouvinte, desde sempre). O nome da banda é sugestivo. A evolução do tema tem um ligeiro sabor medieval, com um crescendo contido, espraiado ao de leve.

Um dia bom!
:)

Entre linhas... disse...

Passei por aqui,entrei lentamente e adorei o teu espaço.
bjs Zita

tonsdeazul disse...

Anjos dos nosso sonhos...
Que nos fazem voar para outras vidas...
Anjos com asas... Anjos celestes...

su disse...

noite: n�o conhecia essa lenda mas � muito bonita. De certeza que eu n�o conto... palavra dada a uma anjo...n�o se contraria!

borboleta: � sempre bom ter a no�o de que temos o nosso anjo, ou o nosso guia espiritual e que este est� sempre presente. N�s � que o esquecemos muitas vezes. mas eles gostam de ser lembrados! ;)

som do sil�ncio: Volta sempre que quiseres e puxa de um fio, "senta-te" confortavelmente com a Teia. ;)

eduardo: sempre tive o fasc�nio pelo Cassiel e tamb�m pelo S.Jorge. Engra�ado e bonito conseguires dar o nome de Uriel ao teu filho...neste pa�s p�e tantos entraves a tudo e mais alguma coisa. Arcana � de facto um grupo com uma sonoridade bastante semelhante a Dead Can Dance. Este �lbum tem o nome deste tema que toca na Teia. Experimenta escutar outro grupo que provavelmente conheces: Love is Colder than Dead. Muito semelhante! Temas fant�sticos. Bom gosto, meu amigo!

entre linhas: mais uma que pode puxar de um fio e ficar por aqui confortavelmente. A Teia gosta! :)

tons de azul: E anjos azuis?! Acho que havia um filme antigo chamado Anjo Azul...com a Marlene Dietrich ou Greta Garbo (mulheres lind�ssimas)...mas sim, muitas vezes os anjos assumem diversas formas e feitios...basta escut�-los! :)

Teté disse...

Gostei do poema, da lenda, da música, mas de anjos não sei falar...

Excepto do Anjo Azul, que é sim senhora um filme de 1930, com a Marlene Dietrich!

Jinhos, amiga, fica com os anjos...

su disse...

Teté: Às vezes é melhor nem falar dos Anjos e sentir o que se deve sentir. Talvez toque mais a questão da Fé...digo eu...
Ah...obrigado amiga, por me esclareceres a dúvida: Marlene D. :) Grandes actrizes! Beijinhos grandes.

Mel de Carvalho, www.noitedemel.blogs.sapo.pt disse...

Estou cansada, Su... vim deitar-me no teu colo, na teia que tanto me embala e me mima. :)
Claro que a "Fada Lia" visita a Nenuquinha... só que a Fada anda sem forças para voar de vassoura ... Talvez seja uma "Fada triste...", mas sim, amiga, vim como muito carinho, hoje e sempre.
O 1º poema já conhecia. Penso que um dia o deixaste num dos meus blogs. O segundo não. Adorei. Gosto desta tua nova teia, pese embora o facto de que, eu que sou "sapo", não ser reconhecida nos "blogspot". Azaretes!

Gosto da música. Muito bela.

Beijos muito, mas muito saudosos. Muita vontade de te dar aquele abraço, Nenuquinha.

Mel

su disse...

Mel: Deixa de lado o cansaço e apela à alma o desembaraço do dia-a-dia. Os teus anjos sorriem-te e querem o melhor de ti. Um beijo meu, as minhas palavras e o meu abraço, minha querida ausente amiga.

Eduardo Jai disse...

Sim, sim, não me queriam deixar registá-lo como Afonso Uriel... Que não era possível devido à ascendência do nome, diziam.

Lembro-me de sorrir para a senhora e dizer: "Vá, seja simpática, eu sei que ele vai ficar com esse nome desde há muito, porque já o tem. Não vamos discutir aramaico e árabe antigo aqui, pois não? É uma história bonita mas loooonga... E então se começarmos a falar da primeira pessoa que, como português, usou o nome Uriel, há séculos atrás, ainda mais interessante vai ser. Eu posso contar-lhe e provar com factos. Tem o número do Conservador da Torre do Tombo?"

Resultou. E não menti ou usei truques baixos. Só motivei a senhora, um pouquinho... Ela disse algo como: "Está bem, está bem, é até um lindo nome".

*whistles*

Love is Colder than Dead <<< bom som, também :)

su disse...

Eduardo: Pois, tudo dependeu foi mas foi do sorriso! ;)
E é verdade, é um lindo nome. os nomes mais fora do comum ou menos usados ou fora de moda são sempre os mais interessantes. Porque tudo é de modas e repetições!
Ahhh...conheces Love is Colder than Dead!! ;)
Beijinhos.