Pesquisar neste blogue

sábado, 2 de fevereiro de 2008

O Mar imenso de solidão que me invade o peito… Os torvelinhos de pó das cinzas que cai da minha mão…
O Guarda-Chuva que se equilibra numa outra…
As nuvens que se bailam pelo céu, nas alturas…
Os farrapos vermelhos que visto, para colorir a minha pele esbranquiçada
O barco de papel que aguarda que uma onda gigantesca se suavize para o fazer flutuar e navegar,
Num rumo sem direcção certa…
Os tons azuis e acinzentados que se escorrem como lágrimas na parede,
as riscas verticais aprumadinhas em volta do
Quadro Perfeito dos meus Sentires!!!

Texto por OP. LOUCA ( blog: River of Emotions). Mais um texto, dos vossos, retirado do antepenúltimo post aqui da TEIA: IMAGEM PROCURA TEXTO (podem enviar mais!).

... da queda também resulta o equilíbrio (?!)...

25 comentários:

Roberto disse...

thanks up of the visit is always a pleasure. beautiful what you have written.
O mar imenso de solidao que me invade...... kisses Roberto

su disse...

roberto: That is not written by me! But i agree that is a very beautiful image! ;)

Sandra Daniela disse...

Linddooo como sempre!!!

... eu acho que sim; da queda também pode resultar a o equilibrio.... acredito...:-)


bom fim de semana

su disse...

sandra daniela: Esperamos sempre que a queda, por mais dolorosa que seja, resulte em algo de positivo no final...a aprendizagem de algo. talvez algo a evitar. Consegu-lo talvez seja o equilíbrio. Beijinhos e bom fim-de-semana.

alguém por aí... disse...

da queda também resulta o equilíbrio, será?

teremos sempre que cair para o encontar????

su disse...

alguém por aí: Espero bem que não! Que as quedas muitas vezes não são assim tão pequenas! Que se encontre o equilíbrio de outras formas...também!! :))

efeneto disse...

...obrigado pela sua visita. Vou levar a imagem para tentar escrever algo...beijo de amizade.

Som do Silêncio disse...

Fabuloso!

Beijo terno

marias disse...

Penso que da queda resultará sempre um amadurecimento e é nesse continuo fortalecimento que crescemos cada vez mais e (re)aprendemos a vida.

A foto é fantástica e a ideia deslumbrante.

Beijinhos

Dark-me disse...

Magnifico!
Uma boa queda, ajuda-nos sempre a ser mais fortes e a evitar uma queda igual :))

Imagens fabulosas

Dark kiss

Lenita disse...

Como belo Universo de contrários este que nós escolhemos para viver, à queda, segue-se o reequibíbrio e, ao estado de equilibrio, acabará sempre por se lhe seguir a queda... das sucessões de equilíbrios e desequilíbrios, resultamos nós... seria bom, contudo, que a queda fosse na exacta medida de não tolher a reacção; pois a diferença entre a dor que nos move e nos constrói e a dor que nos paraliza e destrói está na nossa capacidade de ver por cima dela...

Dores na medida exacta para todos... e muitos parabés a OP. LOUCA, pela magnífica descrição do quadro perfeito dos seus sentires...

Ah, e... já agora... eh, eh, eh, já lá puz o a imagem e o texto, ih, ih, ih... só que acabou por não sair tão inspirado quanto eu pensava... mas pronto. Puz no blog do costume http://impressionantesimpressoes.blogspot.com, achei que era capaz de ser aquele em que se enquadrava melhor...

Bjokas!

un dress disse...

la route est noir

à perte de vue...

...e lá vamos...

se vale a pena chorar.
claro que sim. às vezes muito.

sou a favor da dor porque não lhe consigo fugir.

se aprendo...duvido tanto!

mas resistimos

e recompomos a partir das tritezas,

bastará...acho...:)

Papoila disse...

Querida SU.
A cada queda a vontade de renascer!
Belo o texto!
Beijos

impulsos disse...

Mais um daqueles belos textos, feito à medida de uma bela imagem... adorei!
Parabéns ao seu autor e a ti, pela iniciativa, sempre tão irreverente como todas as outras que já tiveste.

Tens a capacidade de nos fazer ter vontade de participar, pelo prazer que nos dá a todos.

Beijo

alguém por aí... disse...

muito obrigada pelo teu comentário e convite!

um beijo

Roberto disse...

good night and good begin of week. roberto kisses

muguet disse...

concordo em absoluto com a marias :))
aprendendo a saber o porquê das nossas pequenitas (espero) quedas...conseguimo-nos erguer cada vez mais conhecedores da consciência do nosso eu.

o texto...lindo, como todos os que saem do sentir de cada um :)

a música??? divinal...

(deliro com "con toda palabra"... :))))

beijo grande...sabor a muitas línguas cantadas

Op.Louca disse...

Su...

Fiquei surpreendida com a surpresa que me preparaste. Nao contava com tal!
Adorei a musica escolhida, e a imagem, bem...muito bem escolhida.

E essa tua perguntinha:...Da queda, resulta o equilibrio?!?

A meu ver, a queda ajuda muito para um dia mais tarde superar-mos com mais força e vontade, de uma outra queda que nos possa a contecer.
Quanto ao equilibrio, isso agora é mais complicado, a qualquer momento, por mais equilibrio que a gente tenha, podemos desequilibrar.

Mas sempre escutei dizer, que estar-se desiquilibrada até é bom, pois faz com que a creatividade flua de uma forma espontanea.

E minha querida, agradeço-te as tuas palavras deixadas la no River, mas eu tão cedo, nao volto a escrever...quando voltar, eu aviso! :)
P'ra já, vou deixar-me em repouso, juntamente com as " palavras" que nao me saem, nem se soltam.

Deixo-te um Beijinho enorme, e um Obrigado/a, a quem elogiou as minhas palavras neste teu post!

Azer Mantessa disse...

Waiting for you is a sweet thrill
Like waiting for the wonderful spring
Watching the breeze below
It's fun to see the trees grow

Waiting for you is a sweet thrill
Like finding something tricky
Until the sea starts surrounding
But when will you be coming?

Matchbox31 disse...

às vezes é preciso cair para nos lenvantarmos e avançarmos com mais força, de cabeça erguida!

tonsdeazul disse...

Su,
Este também está muito bem escrito. E mais uma vez foste buscar uma outra imagem que se adequa nelas! :)
Beijinho

Nota: Espero que quando o livro chegue até ti, que te dê tanto prazer em lê-lo como me deu a mim!
Ah! E depois claro quero saber a tua opinião!

mixtu disse...

bem... mas essa menina filha de lavradores anda agora de guarda-chuva e sempre junto ao mar...

bem,,,

yayaya

abrazo serrano

Teté disse...

Suponho que é com as quedas que se percebe onde está o ponto de equilíbrio, que é sempre relativo a cada indivíduo...

su disse...

efeneto: Fico à espera. Beijinhos.

som do silêncio: Andavas muito em silêncio...é verdade é um texto muito forte. Beijinhos.

marias: A ideia é mesmo dar destaque às palavras que vocês aqui deixam e que eu tanto aprecio! :)))

dark-me: Obrigado. Esperamos nós, sempre, que a queda nos ajude a compreender todas as circunstâncias, não é? Beijinhos.

lenita: Minha querida filósofa...já irei espreitar o teu texto. Estou curiosa. É verdade, funcionamos com todos os contrários que a vida nos dá direito e dever, também...função ou missão por vezes ingrata é tentar descobrir o equilíbrio entre essas coisas... Beijinhos.

um dress: Choro, mágoa, aprendizagem, erro novamente em outra circunstância...somos tantos e tão diferentes mas as lágrimas sabem sempre ao mesmo... :)) Um beijinho grande.

papoila: Que sejamos então uma nova espécie de Fénix Renascidas. :))

impulsos: Gosto de saber que vos motivo a querer participar sempre...para mim, isso é sinal da validade da própria Teia. Muito obrigado...aqui, os méritos, são do texto da autora! ;) Beijinhos grandes.

alguém por aí: Fica registado. Agora que apareça! ;)) Beijinhos.

roberto: Boa semana para ti, roberto. Muita inspiração nas fotos! ;) Beijinhos.

muguet: As músicas da Lhasa são espectaculares. Também adoro essa que referiste, aliás foi a primeira dela que conheci...e aquela música do Deserto também é fabulosa. É verdade, aqui temos mais um texto forte e fabuloso. Obrigado...muitos beijinhos com várias "nuances"!

su disse...

op. louca: Nada a agradecer...lamentamos todos, de certeza, é que não escrevas mais...mas vês como te contradisseste?! Acabaste por escrever um belíssimo texto para a imagem que a Teia te sugeriu!!! Porque não pegar em mais imagens, da vida até...e voltar a colocar as palavras no seu lugar?! Bem, seja como for...quando voltares...avisa...seja com o teu River ou com outro cantinho especial que tu cries...mas diz qualquer coisa...a Teia, por enquanto, estará sempre por aqui!
Ainda bem que gostaste tanto da música quanto da imagem...fico feliz. É verdade, por vezes é no desequilíbrio que encontramos a inspiração para a escrita. Um beijinho grande e obrigado eu pela tua participação. Fica bem. :))

azer mantessa: Obrigado pela tua participação. Já tenho o texto assente para uma futura imagem e música também. Beijinhos grandes.

matchbox31: É assim que supostamente encontramos aquelas forças de que tanto falam que estão bem escondidas dentro de nós, não é?! Esperemos que sim...Beijinhos!

tons de azul: Vais notar de certeza quando terminar de ler o livro. Eu dou sinal! ;)) Ainda estou à espera dele. Este texto é muito forte. E espera-se que das cinzas se volte a reconstruir palavras e não só...Obrigado. Beijinhos grandes.

mixtu: É uma rapariga com muita dose de polivalência...cá para mim ainda acaba mas é na serra a tentar dar aulas!! ;))

teté: Nós supomos sempre mas ao mesmo tempo somos um poço de oisas inesperadas não é'! :))) Ah, adorei, AMEI, o teu texto...a ver se não te desiludo com a imagem e a música, amiga! Muito obrigado! :)))