Pesquisar neste blogue

sexta-feira, 29 de fevereiro de 2008

CINEMA NA TEIA: INTO THE WILD

Passados alguns minutos de visualizar o mais recente filme do actor/realizador Sean Penn “Into The Wild” a rendição é absoluta. Com este filme Penn, conta a história verídica de Christopher Johnson McCandless, um recém-licenciado que rejeita todas as formas de materialismo e auto intitula-se de Alexander Supertramp. Para iniciar uma épica viagem (de dois anos) através do seu país; para realizar uma descoberta do seu ser e para concretizar a perseguição da liberdade até ao Alaska.
O filme está dividido em vários capítulos, Alex vivendo no Alaska (seu último destino) e a viagem que efectua até chegar a este lugar paradisíaco, incluindo flashbacks da sua juventude, com trágicos momentos do ambiente familiar em que cresceu e que sempre rodeou os seus pais. Ao longo da película vamos também conhecendo as últimas pessoas que tiveram a possibilidade de conviver com McCandless na sua viagem para o Alaska.
Quando estamos bem introduzidos no filme, o realizador pára a narração ( de Alex e de sua irmã) e inicia-a de um modo visual para a descrição do que existe na mente de Alex. É com este estilo visual que Sean Penn nos cativa com uma tal mestria, que por vezes sentimos que estamos a viajar lado a lado, ou até mesmo a sentir o que Christopher sentiu ao efectuar tal aventura, “aprisionados” pela própria natureza.
O que dizer deste filme?....Simplesmente uma obra de arte….extraordinário como esta película utiliza sempre uma extensão da metáfora de uma forma brilhante e consegue sempre captar a beleza que Alex viu e sentiu. Oferece-nos também uma perfeita e profunda caracterização da felicidade da natureza e a diferença entre o estar sozinho e a sensação de solidão.
As imagens podiam ser autênticos quadros visuais de poesia, a par e passo da mensagem que este filme nos transmite. Quem nunca desejou partir à aventura, desligar-se das coisas mais mundanas, materiais e banais que nos prendem ao quotidiano e ao compromisso social; quem nunca quis encontrar a serenidade de espírito no viver pelo simples prazer do viver e do existir na sua forma mais pura e verdadeira? Escapar à prisão da Sociedade?
O mergulho do Homem no lado selvagem da natureza, sendo que, desta vez, quem vence a batalha é realmente o selvagem… mesmo que após esta viagem iniciática se descubra uma verdade suprema: “Happiness is only real when shared”.
Não podemos esquecer a banda sonora de Eddie Vedder, que consegue sobrelevar, muitas vezes, ao nível da perfeição, cada uma das cenas deste maravilhoso filme.

Se espreitarem este link
AQUI podem ver algumas fotos reais dos últimos lugares onde esteve McCandless (inclusive o por si apelidado de “autocarro mágico”, que o acolheu durante 100 dias, e que neste momento está transformado em museu, em sua homenagem).

Se tivéssemos de fazer um TOP3 de filmes, para os vencedores dos Óscares, fomos unânimes em decidir assim:
1º INTO THE WILD;
2º O ASSASSINATO DE JESSE JAMES PELO COVARDE ROBERT FORD;
3º EXPIAÇÃO


Mas não somos os críticos…apenas uns grandes amantes do bom cinema, que gostam de partilhar estas sugestões com todos vocês!
Texto por Taliesin e Su.

Em memória de Christopher Johnson McCandless (12 de Fevereiro de 1968 – 18 de Agosto de 1992)

25 comentários:

Teté disse...

Excelente texto, música e fotos para nos cativarem (a todos) a ir ver o filme...

Se está no vosso Top + é boa dica de certeza! :)

Jinhos!
(acrescento mais qualquer coisa, depois de ver o filme)

Fernando Pessoa disse...

ainda não vi este filme. nem sei se já passou aqui nos cinemas.

mas posso perguntar se já viu o "juno"?

O Profeta disse...

Aguçaste-me o apetite...vou vê-lo...


Nos umbrais do pensamento
Mora o desejo no limite da razão
Roubando os segredos do corpo
Lançando ao vento a emoção

Uma rosa breve guarda a beleza
O amor é orvalho de feliz pranto
O horizonte é o começo do infinito
A chegada de uma onda é alegro canto

Convido-te a sentir o beijo da chuva

Bom fim de semana


Mágico beijo

littledragonblue disse...

Excelente ideia para ver um filme.
Até andava com ideias de visitar o cinema...
Um beijinho e votos de um bom fim de semana

su disse...

teté: Então quando vires o filme diz-me de tua justiça! Nós achamos que é um excelente filme...já o vimos duas vezes! Bom fim-de-semana, amiga.

fernando pessoa: Este filme ainda está em cartaz. Já vo o Juno. Pareceu-me um bom filme, em termos de argumento...mas não considerei o suficiente que justificasse para estar nos nomeados para os Óscares. A actriz principal fez uma boa interpretação. Não há dúvidas. Contudo, aquele sotaque extremamente americano quase calão dos jovens fez-me uma certa irritação. Gostos!!

profeta: A chuva agora até seria bem-vinda...esteve uma tarde de Verão! De apetite aguçado...então agora é só satisfazê-lo! Beijinhos.

littledragonblue: Um bom fim-de-semana...olha que este é realmente um excelente motivo para visitar o cinema de novo! Beijinhos.

efeneto disse...

Queria ter sido um príncipe
Desencantado de alguém
Queria uma paixão passageira
Um amor delinquente
A total desilusão do depois.
Queria ser o sonho frustrado
O homem errado
Queria não ser o alguém que conquista
Pela palavra bonita.
Queria apenas que o seu fim-de-semana
Fosse aquilo que sonha ser.

Um beijo de amizade.

Lenita Boneca de Porcelana disse...

Querida Su!! Olha, não consigo encontrar no youtube "Long Way Home" dos Stone Temple Pilots, mas encontrei outras músicas deles e tudo o que te posso dizer é que é exactamente o tipo de música de que eu gosto!! :-D

A proposta está mais do que aprovada! Olha a nossa playlist:

Lamb - Goreki
Nightwish - Nemo
The Gathering - Alone
Pearl Jam - Life Wasted
Stone Temple Pilots - Long Way Home

Acho que não me estou a esquecer de nada, pois não?

Olha... e Muse?? Eu adoro Muse, amo muse de paixão, gosto de muitas, mas proporia uma das muitas deles que mexem mais comigo: Hysteria... que dizes?

Linda, o blog do teu Taliesin também está maravilhoso!! Meu Deus, aquilo é tudo para ti??? Que absoluta delícia!! Cheirinho a... almas gémeas! ;-)

Olha, a música da Tarja que soa por lá é maravilhosa, mas... ela ainda tem de me convencer; eu sou absoluta fã dela, acho que ela tem uma voz incrível, uma postura em palco magnífica, o próprio rosto dela, para mim aquela mulher é uma diva, uma inspiração! Mas acho que o facto de pertencer aos Nightwish fazia sobressair a sua faceta mais especial, por causa daquela incrível combinação de canto lírico com metal de uma forma tão harmoniosa... acho que preciso de tempo para que ela mostre que não se vai tornar simplesmente numa cantora lírica... os Nightwish têm uma energia muito interessante e a energia dela encaixava ali na perfeição, pelo menos a meu ver...

Olha! Daqui a pouquinho vou ver a nossa Muguet, que estava mesmo a precisar mudar de ares! Ainda tive receio que a recente "facada" que lhe foi disferida voltasse a doer, mas sinto-a muito bem, felizmente! Acho que ela não podia ter escolhido melhor o lugar se não a Serra da Estrela que, para mim, é o melhor sítio do mundo para esquecer tudo o resto!

Calculo que andes tão atarefada quanto eu, que vou apenas poder dispensar algumas horas à nossa querida Muguet, mas quando o aperto do final de período passar, havemos de combinar qualquer coisinha, verdade?

Beijo muito, muito, muito grande!!

Lenita Boneca de Porcelana disse...

Poça, um comment tão gigantesco e mesmo assim ainda não disse tudo o que queria!! :-Z

Olha, já tenho o google talk a funcionar! Quando quiseres, aparece! Reparaste que a Muguet se quer meter pelo meio da nossa playlist?? :-D Hummmm.... achas que vamos deixá-la??? :-DDD

Eu gostei da proposta dela: Portishead, Roads... vocês pegaram-me completamente o gosto por Portishead!! Tenho ouvido e estou a gostar cada vez mais!

A outra proposta é Tindersticks, que eu não conhecia, mas que também me parece muito interessante... Burried Bones.

Olha, quanto ao filme "Into The Wild", fiquei já cheia de vontade! Mas aqui sabes como é, leva tudo mais tempo... amanhã os meus pais vão ver "Expiação", enquanto eu fico a ver testes... :-Z mas eu tenho esperança de ainda poder ir ver na semana que vem. Também sinto curiosidade pelo "Sweeny Todd", porque costumo gostar muito dos filmes com o Johnny Depp... deixa ver se tenho tempo para tudo!!

Beijoo grande!! Muito graaandee!!

su disse...

fneto: mais uma vez que forma tão bonita de deixar uma mensagem! ;)
Um excelente fim-de-semana em grande!

lenita: Pois, esse tema é difícil de encontrar, especialmente no you tube. Ainda estive indecisa entre Hello It`s Late e o outro tema vaseline. Esses estão no you tube. mas se puxares o álbum Shangri-la dee da (que é este onde está o Long Way Home) acho que vais gostar. Então não gosto de Muse?!!!!!! Tive uma pena imensa de não ter conseguido o bilhete para ir ao concerto deles da última vez que cá estiveram...acho que gosto de todas as músicas deles!! :) Pois, tarja...mas este álbum dela tem uma boa dose de "guitarras"; penso que ela não esquece a sua conjugação com o metal. Então sempre foste ao The Spiral?! Sim, é como tu dizes...algo fantástico do género de almas gémeas. Desde o início! E ainda agora! :) Portanto, para a playlist entra agora o Hysteria dos Muse. Quanto aos temas da Muguet penso que Portishead fica bem depois de Lamb e Tindersticks a seguir aos Stone. Que dizes? Já vou procurar resposta aos Muse! ;)
Um beijinho grande para a Muguet...a Serra da Estrela faz desanuviar qualquer um...é diferente mas provoca o mesmo que o Gerês, pelo menos em mim.
O Sweeney Tod é um musical...está excelente. para além do Deep eu AMO Tim Burton e aqueles ambientes fantásticos que ele cria, por isso, e só por isso, ia adorar o filme...mas está bom. Contudo, reconheço que não é para qualquer um. Sei que houve muita gente a sair da sala do cinema ao início do filme, vê só!!!

Um beijo bem grande. Bom trabalho também.

Menina do Rio disse...

É...e por cá, o verão continua com cara de outono; o que significa que teremos um longo outono este ano...

Boa a sugestão do filme.

Um beijinho pra ti e um ótimo final de semana!

su disse...

menina do rio: Parece-me que o tempo anda trocado...ou desengoçado! Mas tenho a certeza de que a "culpa" é nossa também! Beijinhos e bom fim-de-semana.

Roberto disse...

Buona domenica
Roberto

mixtu disse...

o estar sozinho e a solidão

curioso como me pareceu um tipico filme americano...

na verdade tenho de voltar ao cinema mas nem sempre é fácil ir da serra a Viseu...

yayya

abrazo ... serrano

O Árabe disse...

É... fiquei com muita vontade de assistir ao filme! Bela resenha.

Azer Mantessa disse...

nice review on this one :-)

un dress disse...

nostAlgias








~ beijO

su disse...

roberto: Nice end of Sunday for you... Nice photos that you have in your blog, as usuall! ;)

mixtu: Olha, pois eu fiquei precisamente com a opinião ao contrário...que não era um filme tipicamente americano, mesmo que mostrando as grandes paisagens, os hábitos e costumes...a questão do argumento, da deologoa que está por detrás parece-me antes uma forte crítica ao "americano" e, no fundo, à sociedade e suas bases. Mas vale sempre a pena voltar a vê-lo...contudo, eu também prefiro a Serra à Cidade! Beijinhos grandes. ;)

o árabe: Não vais ficar desiludido...está repleto de frases lindas, de pensamentos profundos e de atitudes inacreditáveis. Beijinhos.

azer: Did you saw the film? You`ll like it, for sure! Kisses.

un dress: Acabamos o filme, entre outros sentimentos, com esse também: a da nostalgia. mas existe beleza suficiente na nostalgia, não é?! :))

Um beijo redondo!

Lenita Boneca de Porcelana disse...

Su... tu és incrível! Unkle? Nunca sequer tinha ouvido falar! ... Que dizer?? Adorei, adorei, adorei! O vídeo de "Burn my Shadow" é absolutamente incrível, incrível mesmo... como é que tens tantos conhecimentos musicais?

Olha, querida, conhecer pessoalmente a Muguet foi uma das melhores coisas que aconteceu ultimamente aqui para os meus lados! Um verdadeiro sinal de mudança dos tempos e para bem melhor! Ela é tudo o que parece por aqui e muito mais, um verdadeiro doce de pessoa! Também gosto muito do Gerês, em termos de paisagem natural nem se compara à Serra da Estrela, mas a Serra da Estrela para mim tem significados muito especiais...

A nossa playlist:

Lamb – Goreki
Portishead - Roads
Nightwish - Nemo
The Gathering - Alone
Pearl Jam - Life Wasted
Stone Temple Pilots - Long Way Home
Tindersticks – Buried Bones
Muse – Hysteria
Unkle – Burn my Shadow

Eu TENHO de arranjar tempo para explorar bem explorado TUDO o que tu me tens ensinado, porque estas (e outras) tuas lições valem ouro para mim, sobretudo na fase que atravesso! Quando tudo serenar, quero colocar muitas coisas que tu me ensinaste no meu absolutely mad about music... nessa altura, espero poder contar com a tua ajuda e com os teus conhecimentos, se não for roubar demasiado tempo!

E eu agora retribuo: Creed, My Sacrifice...

Quanto aos filmes... eh, eh, eh, ai sai tudo no início do filme??? Então eu TENHO de ver isso!! :-D

Mas sejamos realistas... a probabilidade de eu ir ver seja lá o que for esta semana é praticamente nula... :-(

Beijo muito grande!

su disse...

lenita: Oiço música como se fosse quase o ar que respiro...preciso e ter sempre o som ligado. Desde muito nova...acho que herdei isso da minha mãe. :))
Ainda bem que gostaste de UNKLE. Experimenta ouvir DJ Shadow também.
Gerês e Serra da Estrela são dois lugares mágicos para mim...por afinidades estou mais ligada à Serra da Estrela, visto que os meus pais são de uma zona mais ou menos perto...mas o gerês é de se lhe tirar o chapéu! :)) Não me importava nada de ter lá uma casinha toda em granito! Adorava.
Já te deixei resposta aos Creed...inicialmente pensei em Faith No More mas depois optei pelos The Young Gods! :)
Ajudo no que for necessário...mas não sou insubstituível nem de seguir...apenas sei uma ou outra coisa porque a vida nos ensina e nos conduz a isso...muitas vezes de um modo solitário ou não...mas aprende-se. E nada é impossível, mesmo perante as diversas fases da vida...até ao fim dela teremos sempre doses e doses de fases...
Acredito que a Muguet seja assim...parece pelas palavras e pelas fotos. :))

Um beijo bem grande.

Matchbox31 disse...

É realmente, um dos filmes que quero ver brevemente. Até porque tem todos os ingredientes necessários à minha pessoa para ser bom.

Oliver Pickwick disse...

É um grande filme, perfeito nos mínimos detalhes, desde a sensível direção de Sean Penn, passando pela excelente trilha sonora, até a deslumbrante fotografia. Aprecio as suas escolhas, querida amiga!
Beijos!

carteiro disse...

Finalmente cá venho tentar responder a esta série de textos que se têm agrupado :)
Pois é, o Into the Wild ficou mesmo sem estrear por estes lados. Não sei bem se a "maneira antiga" que te referes é a mesma que estou a pensar mas... de facto, se o filme não veio até aqui, eu tive de "ir ao filme" :p e então ele já anda algures por aqui à espera de ser visto :) É uma questão de arranjar duas horinhas e meia em que me apeteça, com toda a decência, ver um filme e então logo o verei :) E claro que te darei depois a minha opinião.

Devo confessar-te que, propositadamente, não li o vosso texto sobre o Into The Wild na totalidade. Li-o ligeiramente e meio que na diagonal para desperar o apetite mas não quero, para já, saber mais que o pouco e óbvio "background" que sei do filme :)

E então, a esta hora já sabes o que achar do There Will Be Blood? :) Pois é, por mais diferenças que possam haver entre as nossas opiniões pós-maturação e pós-matutação, parece que a primeira reacção ao filme é muito idêntica. A intensidade das cenas. O desempenho do personagem principal. (E o do secundário... no papel de Eli... wow!). Achei a realização 5 estrelas... e a merecidíssimo reconhecimento (nos Óscares) da fotografia, que me encheu logo a visão. E, mais que muito, fiquei muito impressionado com a banda sonora. Uma menção especial ao papel dos violoncelos, naquela sonoridade grave cada vez que se entrava num clima de tensão!! E, principalmente... nas duas vezes que foi usado o último andamento do Concerto para Violino de Brahms (conheces?): a primeira quando o petróleo sobe à superfície naquelas terras áridas... e a segunda no final do filme (e que se prolonga pelos créditos finais) naquela cena final surpreendentemente arrepiante!! Foi usada duas vezes em circusntâncias diferentes mas como símbolo na dualidade do heroísmo e da ironia!! O andamento é um Allegro Giocoso e isso já diz tudo... O tom do final do filme é, em tudo, jocoso!!
E já chega de palavras para este :) mas para mim, ao contrário de das manchetes pós-Óscares que lhe chamam "o derrotado", é o grande vencedor desta fornada de grandes últimos filmes que tenho visto.

Ah, o que achaste do "grande vencedor" dos Óscares?

Teté disse...

Acabei de ver o filme (que já só está numa sala de cinema, às 18h45m, que estava cheia) e também gostei muito. Aliás, gostámos. Especialmente nos aspectos que focam da fotografia e da música.

Quanto ao argumento, embora baseado numa história verídica, fez-me lembrar um pouco Kerouac, mas o personagem leva o seu desprendimento mais longe, sem dinheiro, sem família (e também sem querer novos laços que o prendam), praticamente sem nada a não ser o seu sonho de liberdade - longe de convenções sociais - e a vontade indómita de o realizar. Com aquela dose de adrenalina hoje comum a alguma juventude, de descer um rio de canoa, sem ter prática no assunto. Aliás, a cena da licença para descer o rio dá bem noção do que é a burocracia e o proteccionismo/proibicionismo na América também, completamente incompreensível para um indivíduo com a sua personalidade...

É pena que só descubra essa verdade suprema quase no final da sua viagem, mas não iam pôr um happy end quando a aventura terminou de outra forma, não é?

Mais uma vez, uma boa sugestão vossa: obrigada!

Há e uma doce Páscoa, com muitos chocolatinhos e amêndoas... :)

Festinhas aos bichanos!

Teté disse...

Ah!* em vez de há, está claro!

Daniela disse...

muito bom... pelas paisagens, música e história em si!
recomendo!

**