Pesquisar neste blogue

domingo, 20 de abril de 2008

PARA TI

Ela levantou-se das sombras deixadas ao ocaso
O cabelo solto pendurando as estrelas fatigadas
Mais uma noite que passou
Fechou a porta sobre si mesma
Se chovia lá fora não o sentia assim
As lágrimas eram suas
Cada uma delas um prego a mais do passado
Construindo a sua muralha contra o presente
Pregos e pedras e tábuas e espinhos
Todo o Amor morria na cruz
Fosse Homem ou Mulher
E quando caísse dessa cruz
As asas não levantariam mais voo
Novos tapetes à entrada da sua vida
Prendendo o coração a cada passo no chão
Uma pedra de cada vez
E era ela quem as atirava
Partindo o reflexo da sua alma no espelho
7 anos de azar, 7 vidas sem amar, 7 palavras sem terminar
As superstições mais velhas do mundo
Deixa-me segurar os teus cabelos contra o vento
E que as estrelas sejam as luzes que partem dos teus olhos
Como as promessas que espero aos meus desejos
Deixa-me elevar as tuas asas e com elas
Superar essa muralha onde te prendes
Serei cavaleiro e dragão enquanto te esconderes
Serei o fogo e serei a
Que secarão todas as tuas lágrimas
E quando te olhares nesse espelho encontrarás uma alma maior
Porque não será apenas a tua reflectida
Seremos apenas dois para lá do dia e da noite
Para lá da forma como o tempo quiser medir-se a si mesmo
E sendo Homem e Mulher cairemos apenas nos braços mútuos
Ignorando todas as cruzes do mundo que queiram condenar o Amor
Porque este não se sacrifica
Glorifica-se quando se dá
Deixa-me sentar ao teu lado
E crescer com o mundo lá fora
Não te dou a minha mão
Toma o meu corpo e a minha alma
Agora sei quantas voltas se dão ao labirinto
E sei que já não me consigo perder

Sei que és a chave e a porta
Que me liberta de mim mesma
Sei que ultrapasso as próprias horas
E faço batota com o Tempo
Para chegar primeiro a ti
Sei que as muralhas caíram aos teus pés
E eu subi ao teu corpo
Abandonei a minha própria solidão nas pegadas do passado
Agora que caminhas ao meu lado
O meu mundo renasceu.


(p.s.: poema inacabado...falta a ponta solta e resposta)
A ponta solta-se e ao mesmo tempo a resposta inicia-se...



Se um instante contém o principio da vida em si mesmo,
E a essência de todo o potencial do universo,
O valor do teu instante em mim,
É um presente de amor,
A vida
E a oportunidade de ser teu neste instante,
Sua máxima expressão,
És sempre tu o mais importante.
Se não estivesses aqui, não existiria o instante,
Dia, noite, estrelas…eternidade.
Para o universo e a vida tudo é possibilidade,
Quando te unes a mim num instante,
O convertes em nós,
Sim, desfrutar esse nós,
Onde…
Fazemos a soma da tua oportunidade com a minha,
Fazemos a soma do teu instante com o meu,
Fazemos a soma da tua alma com a minha,
Fazemos a soma do teu universo com o meu.
Todas as nossas somas,
Nos fazem crescer,
Para ganhar,
A vida,
Que te pergunta suave e docemente,
Como pode o sol brilhar, se não fosse para nós?
Como pode a lua reflectir a sua luz, se não fosse para nós?
Como pode o universo transformar-se, se não fosse para nós?
Como pode o espírito vibrar, se não fosse para nós?
Então em uníssono perguntamos.
Vida!!! Quem somos nós????
Ela responde com um sorriso do céu…
A soma do presente de um instante de amor
Tu e eu
Vida
Eternamente
Obrigado pela existência…eu em ti e tu em mim.



Poema por Su e Taliesin

19 comentários:

lua prateada disse...

Sabes mesmo amiga quantas voltas se dá ao labirinto? e será que eles são todos iguais?...
E foi assim...no sorriso do tempo
Envelhecido pelo vento!...
Mas com cara feliz por perdurar
Que passei deixando o verbo amar...
e uma linda semana.
Beijinho prateado com carinho
SOL

Dark-me disse...

Estive algum tempo sem ca passar mas o teu blog esá fantástico...Textos maravilhosos minha querida!
Parabéns!

Dark kiss

© efeneto disse...

nnnserá que tem fimmmas palavras feitas labirintos...beijito de boa semana

Teté disse...

Mais um poema a duas mãos, Su?

Fico à espera do seguimento... ;)

Boa semana para ti!

ZezinhoMota disse...

Já poderei pensar numa longa ausência...

Mas...

Escreves como sempre, bem...

Que tenhas uma semana feliz.

Bjnhs

ZezinhoMota

As minhas poesias;
http://zezinhomota.blogspot.com
As poesias dos outros;
http://poetaremportugues.blogspot.com
Novo - A imagem do meu país;
http://ominho-zezinhomota.blogspot.com

tonsdeazul disse...

Bem... amiga nem sei o que te dizer! Está muito bonito este teu poema inacabado!
Se tivesse palavras acabaria-o por ti! :)

GZ disse...

speechless...

bj GZ

FERNANDA & POEMAS disse...

Olá minha querida SU, lindíssimo texto!
Amiga, como é lindo tudo o que escreves... É um grande prazer ler-te!
Uma boa semana e muitos beijinhos,
Fernandinha

Teté disse...

Ah, bem me parecia que Taliesin viria completar o poema, em perfeita sintonia...

Que seja assim, eternamente!

Jinhos a ambos!

mixtu disse...

que diálogo...
gostei.. coerente...
mas tenho que ler outra vez para o entender melhor... muitos enigmas, muitos 7... :)

abrazo serrano para os 2

O Árabe disse...

Poema inacabado? Assim eu não diria. Lembra-me mais o sonho do moto perpétuo, que se prolonga em si mesmo... :)

Kátia disse...

Que poema lindo Su! O fato de estar "inacabado" como dizes o deixa ainda melhor.
Como sempre me sinto muito bem ao visitar seu espaço e poder além de ler visualizar as fotos que compõe cada escrito e que são belíssimas!
--Esse do casal com as pétalas vermelhas,que primor!--
Obrigada minha amiga TU por existir!
Beijo,cheiro,abraços,carinhos e cuidados amorosos e cheios de amizade dessa Soteropolitana quase lusitana.
:)

Bia disse...

Êxtase puro, puro êxtase que me deixa sem palavras... apenas sentir, apenas deixar que os versos se acomodem de manso na alma... Infinitamente belo esse poema a duas mãos!

Sorrisos, pétalas e beijos, no teu coração, minha linda, com carinho e profunda admiração por essa facilidade que tens de deixar a alma falar através de versos tão delicados.

Gerlane disse...

A doação em perfeita e profunda comunhão. Belo e gratificante quando isso acontece!
São também belos e impecáveis os teus textos.

Beijos pra ti!

oceanus disse...

...perfeito!

estive ausente, mas fiquei sem palavras, está fantástico o teu/vosso espaço...uma perfeita partilha!

bjs do fundo do Oceanus

Flora disse...

Olá Su vim deixar um olá!
Gostei especialmente das superstições..."7 anos de azar, 7 vidas sem amar, 7 palavras sem terminar
As superstições mais velhas do mundo "

Eu não acredito em bruxas mas "que as ha..."!!!

Temos tentado contactar o Claudio para formalizar uma inscrição ao P.A...mas nada...chuif...

Beijos Mil
Flora

© efeneto disse...

Há no voar das gaivotas,
Um cheiro que paira no ar.
Sei que este Inverno vai acabar.
Não haverá sonhos mutilados,
A paz é um país a conquistar
Ao sabor do perfume dos cravos.

Sei que a Primavera vai despertar
No sol de Abril em verdade,
Sei que os rios desaguam no mar
E a nossa voz na liberdade.
**
Liberdade no feriado e Paz no fim-de-semana.
Beijos e abraços á escolha.

Oliver Pickwick disse...

Mais um da dupla Lennon e McCartney, ops, quero dizer, Su e Taliesin. Digo outra vez, me impressiona este ato de escrever a dois. Acho que jamais conseguiria.
Imagino a cena, você escreve: "A soma do presente"; e o Taliesin: "de um instante de amor". Brincadeira, é claro!
Parabéns aos dois pelo ótimo e, também, por esta "façanha".
Um beijo!

Lenita Boneca de Porcelana disse...

Porque as almas não têm fim... porque pegam umas com as outras de formas que nem sempre compreendemos... como poderíamos nós sentir o uno como sentimos em momentos assim se assim não fosse? Porque as almas se prolongam umas nas outras e a única coisa que dá sentido à vida é perceber tão bem a nossa alma que possamos assistir deslumbrados ao seu encaixe na alma de outrém... dos diversos outréns mas, por vezes, de algum outrém muito especial...

Bjokas para os dois... está incrível...