Pesquisar neste blogue

quarta-feira, 16 de abril de 2008

ROLA A CHUVA


"O frio arrepia
a moça arredia.



Arre

que arrelia!




Na rua rola a roda...

Arreda!



A rola arrulha na torre.




A chuva sussurra.




Rola a chuva

rega a terra

rega o rio

rega a rua.




E na rua a roda rola."



Cecília de Meireles, Ou Isto Ou Aquilo, 15ª ed., Ed. Nova Fronteira, 1990.

...neste momento, o que é que ROLA/ RODA em cada um de vocês?!...

15 comentários:

Ruela disse...

Na ruela rola a roda...;)



bjs.

muguet disse...

a vida, minha querida, a vida.

não sei se rola, se roda.
sei que rodopia numa roda pouco redonda que rola pelos caminhos muito rodados em que tento desenrolar os meus sentimentos.

desenrola a roda o novelo dos meus pensamentos. alguns fios ficam soltos, outros a roda rola-os à sua roda...

roda a vida, trezentos e sessenta sobre trezentos e sessenta, numa roda que rola dentro de mim. que para, dentro de mim, para logo recomeçar...a sua roda.

quero que pare, a roda? não sei...
tenho de descobrir o que isso significa, a roda parar de rolar.

cada vez mais perto de mim...é tudo o que sei...

"Rola a chuva
rega a terra
rega o rio
rega a rua."...e rega o mar, que rega a chuva...


adorei, simplesmente adorei!!

beijo, linda Amiga, sabor a berlindes da vida :)

muguet disse...

ahh... esta imagem incrível da Cecília Meireles faz-me lembrar um livro delicioso que eu tinha quando era ainda mais pequenita.
um livro tão lindo, com umas ilustrações verdadeiramente impressionantes. ainda o tenho e assim que o encontrar mostro-to...lindo, lindo!!!
acho que foi aí que comecei a despertar para a arte do desenho.
engraçado, não foi a anita...foram outros livros.
lembro-me de uns que voltei a comprar há poucos anos, eram fininhos, tinham um zigue-zague a toda a volta menos na lombada e eram cheios de cores pastel. não me lembro das histórias, mas as cores estão todas cá dentro...engraçado... as cores ;)

beijo doce su, sabor a cores pastel

muguet disse...

ó su, como é que a malta aqui comenta o kitsch? é que eu ainda nem tinha visto que estava desafiada, imagina como ando :S

beijo, muito kitsch, cheio de purpurinas ;))

Oliver Pickwick disse...

Sou quase um hiperativo patológico. Meu cérebro anseia por muitas coisas ao mesmo tempo: rola/roda uma roda-gigante a cada dia. Se praticasse algo como ioga, estaria agredindo a minha maneira de ser. Sou anti-zen por convicção.
Um beijo!

melga disse...

Blog fantástico. Parabéns!

Teté disse...

Ontem, rolaram os anos do filhote, hoje um dia assim um bocado pardacento...

Mas pronto, há sempre maneira de ultrapassar algumas rotinas entediantes! ;)

Jinhos, amiga!

mixtu disse...

roda a vida
rola una sonrisa pelo sporting
e cai chuva...
que é cá precisa para a erva quedar verde e todas as cousas da serra poderem viver...
roda...

mixtu disse...

... abrazo serrano

bono_poetry disse...

...SE PARASSE UM POUCO TALVEZ PERDESSE A VOLTA NUMERO 10 000...TALVEZ EM MOVIMENTO ENTRE SUBIDAS E MONTANHAS RUSSAS!!!TALVEZ TE CONTE ...APOS A RODA GIGANTE...BEIJO!!ATE DEPOIS!

su disse...

Roda a vida em forma de bola, pela rua abaixo, como berlinde perdido de uma criança que deixou cair das mãos o seu último tesouro...
Rola o vazio a par da plenitude pois são ambos o mesmo.

tonsdeazul disse...

Neste momento rola a melancolia em mim! Talvez seja culpa da chuva ou das nuvens cinzentas que escondem o meu Céu azul!

muguet disse...

seguro o berlinde bem preso nas minha mãos...bem preso, não o largo...é a minha vida, vazia e plena, plena e vazia...sou eu.

Kátia disse...

Tenho esse livro.Lindo,lindo!
Que foto linda essa do menino no mundo rolando...

O que tenho em mim nesse momento?

O ar,o sopro...e Amor.Em várias nuances...
Esse teimoso que não me abandona.
:)

Lenita Boneca de Porcelana disse...

Espúpida da vida não quer rolar... filha da mãe... se não a empurras, quando dás por ela, já está sempre na mesma com os dias todos iguais... mas vai daí olho ao nosso redor e a nossa noção de que a vida corre bem é precisamente essa... e é nesses momentos que, como eu um dia ouvi dizer, pasma, numa novela, dá vontade de mandar o mundo parar e descer.

Bjoka

PS: o que vale a danada com uns encontrões e com umas idas ao Porto e a Salamanca e a Lisboa e às Docas e assim e mais umas macacadas pelo meio in loco lá vai andando... filha da mãe...