Pesquisar neste blogue

sexta-feira, 11 de abril de 2008

DESAFIO MUSICAL - 2ºtema: MIKE OLDFIELD com "Moonlight Shadow"

Fechada no mundo mais estranho aos olhos dos outros. Calada e em guarda. Expectativa desafiadora e desafiada. Assim seguia a vida. Assim a vida me seguia. Como num compasso de espera em que sabia que podia vir muito mais. Despertava para o mundo do esotérico. Buscava apaziguar a inquietação da alma. Existia alma?! E o remédio para ela, Senhor Doutor?! É que a partir do momento em que a descobri começou a doer! Aqui dentro de mim…não sei bem onde.
Há mais coisas por descobrir no nosso mundo inteiro…mas os anos talvez não cheguem para tal…por isso, deixa-me ir ver o “Verão Azul” e assobiar despreocupadamente à vida lá fora, de bicicleta empunhada e o vento como companhia.
O doce dos sonhos coloria as componentes da vida. Continuava a gostar da “Candy Candy” sem perceber porque é que a tinham proibido na televisão.
No segundo ciclo da escola, o meu grande amigo Dinis declarou-se-me, apaixonado…corri atrás dele não para o abraçar…levava na mão uma pedra da calçada! E à saída da aula de português, o Dinis fugiu de mim apavorado. No meu mundo ninguém entrava.
Procurava os livros, as páginas, o som do vinil e da cassete…neles encontrava o mundo que me descansava. Encantadora magia que me acalmava. E me elevava. Para além do tal real e aparente, descobria que podia haver muito mais, rico e criativo, pronto a florescer dentro de nós!
De noite com a Lua conversava, enquanto na igreja ajoelhava, sem entender as homilias do padre. Sabia que queria saber. Perceber melhor o que guiava a fé dos adultos. E o que me faltava a mim para conseguir acreditar em alguma coisa. Apenas sentia que o pequeno quadro na parede, por cima da minha cama, era muito poderoso. Tão pequeno como um ex-voto; representando uma linda e admirável história: a de S. Jorge e o Dragão. Um dia eu conto-vos. Na realidade, mais tarde vim a descobrir que é o meu guia espiritual…o equivalente a um Ógum, no Candomblé. “Armas de fogo meu corpo não alcançarão/ Facas e espadas se quebrem sem o meu corpo tocar./ Cordas e correntes arrebentem sem o meu corpo amarrar./ Pois eu estou vestido com as roupas e as armas de Jorge/ Jorge é de Capadócia/ Salve Jorge! Salve Jorge!" (Jorge da Capadócia - Jorge Benjor)
De noite, os ecos do passado batiam nas paredes e os pesadelos, espíritos e fantasmas assaltavam-me. A primeira dose de consciência e de inconsciência fazia-se anunciar.
De dia brincava. Estudava. Escrevia histórias com finais felizes que terminasse as inquietações das personagens que inventava. Dizia que havia de ser professora, ou pintora, ou estilista…mas queria inventar e criar qualquer coisa. Inventei? Não sei.
Sei que o meu mundo interior crescia e desenvolvia-se ao som das minhas músicas. Aquelas que eu escolhia e me ajudava a conhecer para além do que estava aparentemente à minha volta. Cassetes e walkman, fones nos ouvidos...alienava-me de tudo.
Queria um cão ou um gato. Não mo deixavam ter. Sujariam tudo lá em casa.
Tinha mais irmãos nos meus vizinhos da casa ao lado. Até caímos das varandas abaixo, o equivalente a um primeiro andar alto, por tanto nos debruçarmos em conversas em fio…sorte nossa: por debaixo estavam umas tábuas de construções (sem pregos nem perigos) que nos acolheu a queda.
Mas nós não tínhamos medo de cair. Nem de magoar os joelhos, nem do aspecto das feridas, nem nos fechávamos em casa ao computador, nem tínhamos medo da rua nem das pessoas que andavam nela. Confiávamos no nosso poder de existirmos simplesmente no mundo.

“Eu andarei vestido e armado com as armas de São Jorge para que meus inimigos, tendo pés não me alcancem, tendo mãos não me peguem, tendo olhos não me vejam, e nem em pensamentos eles possam me fazer mal.”

Este post resulta ainda do DESAFIO MUSICAL que aceitei responder. Os meus desafiados, pelo que ando a ver, conseguem, na sua maioria colocar logo a lista dos seis temas musicais que se destacaram ao longo das suas vidas. Estou em dúvida se conseguirei cumprir para com esta lista…afinal, este ainda é o segundo tema. Para relembrar, o primeiro tema foi PINK FLOYD, com “Another Brick In The Wall”. Escolhi este tema de Mike Oldfield (apesar de ser o mais “comercial” ou conhecido) porque na altura foi realmente o que comecei a ouvir. E transportava-me para um ambiente inexplicavelmente e familiarmente antigo, de outras eras que não aquela em que eu vivia… mas pessoalmente, sou mais fã dos temas instrumentais deste artista (que aconselho a ouvir!).
Até à próxima (que espero que seja mais em breve!).

20 comentários:

Teté disse...

A música que mais me chamou a atenção para Mike Oldfield foi "Tubular Bells", mas também gosto desta...

Ainda me fartei de rir, contigo a correr o coitado do apaixonado Dinis de pedra em punho!

Quando começamos a rebuscar nas nossas memórias, realmente fomos protagonistas de algumas histórias bem caricatas. Ainda no outro dia estive a ler (parcialmente) alguns diários que escrevi na adolescência, ri que nem uma perdida!

Espero que o Sky já esteja melhor.

Jinhos e um óptimo fim de semana para ti!

su disse...

teté: É verdade...o Tubullar Bells é uma obra-prima. Fez parte da banda sonora do Exorcista...Inesquecível! Ah pois...o pobre do Dinis é que não achou graça nenhuma! Afinal, eu estava habituada a olhar para ele como mais um amigo de brincadeiras e de palhaçadas! Enfim...de facto, sabe bem olhar para o passado.., assim desta forma, ainda damos umas boas gragalhadas! É o nosso diário e é a nossa vida! :))

O Sky já está quase 100% penso eu. Já não tem o candeeiro portanto anda mais satisfeito! Beijinhos grandes, amiga. E bom fim-de-semana.

butterfly disse...

Bem se era um desafio resultou em pleno,pois li-te querendo sempre saber o que vinha a seguir...coitadinho do dinis :)
beijinhos

Anónimo disse...

Oi!

Que bom que além de Ogum, temos Uxum e Iasã!

Todos com seus poderes a nos proteger!

E acima, Deus, pai criador!


beijo

su disse...

butterfly: O desafio é mais complicado do que isso...escolher temas musicais que nos acompanharam ao longo da vida...pois, agota está toda a gente do lado do Dinis!!! :p Beijinhos.

anónimo: Cada ente espiritual terá as suas forças...mas tudo depende também de uma questão de fé da nossa parte. :))) Beijos.

Paulinha disse...

Tão bonitas, as recordações de uma infância que se afasta cada vez mais. A musica transmite optimismo! :)
Beijinhos

su disse...

paulinha: Todo o tempo que passa nos afasta sempre de alguma coisa mas também nos pode aproximar de outras...engraçado dizeres que esta música transmite optimismo...foi feita e dedicada a Jonh Lennon na altura em que ele morreu e fala um pouco disso. O Mike Oldfield estava apenas a uns quarteirões do local onde o Lennon foi assassinado...e ficou tão "tocado" que escreveu esta música para ele...
Beijinhos bem grandes.

bono_poetry disse...

interessante a tua escolha...
como e obvio ouvi esta musica por algumas vezes...tanga da idade!!!assim temos uma nocao bem mais real do tempo!!!opa!!well no problem....i love my age!!!gostei!!

Liz / Falando de tudo! disse...

belo post e a musica entao...quer dizer o clip, super gostoso de ouvir a musica!
passando pra agradecer a visita no blog e tenha um bom domingo!
Liz

Ana Maria Costa* Amantedasleituras disse...

http://amantedasleituras.no.sapo.pt

Teia procure este endereço e ajude a crescê-lo, se puder.

Obrigada.

Ana

su disse...

bono_poetry: É verdade...às vezes é por estas coisas do recordar certas músicas, ou certas pessoas, ou mesmo acontecimentos do passado que reparamos como o tempo passa! Mas partilho da mesma opinião que tu! :)) Bem-vindo das Highlands! Há fotos para ver?!! Beijinhos.

liz: É um clip bonito...mas um tanto ou quanto enganador quanto ao tema da letra... ;P
Beijinho grande.

ana maria: Tudo a favor das letras e da poesia! Já irei espreitar o cantinho. :))

Sandra Daniela disse...

Também passei muitos dias a ouvir esta musica... :-))

Eu ainda não acabei de responder ao desafio, mas falta pouco... :-)

As melhoras para o Sky

... Uma boa semana para ti

su disse...

sandra daniela: É uma daquelas músicas inesquecíveis do nossos tempo!
Olha, então prepara-te para o próximo desafio! Eheeheheheheh...

O Sky está a melhorar, felizmente. Obrigdo por te lembrares. Beijinhos grandes.

muguet disse...

linda, maravilhosa, divinal su...longe da vista mas nunca do coração...bem cá dentro numa camadinha muito especial :)´

volto amanhã, sim?
(e em letrinhas muito pequenitas...esperemos que o sr. tirano me deixe)

beijo, minha querida, sabor a different colours... e sabor a saudades também, muitaaaaas

su disse...

muguet: sim, ei como é o tempo! Olha, nã sei se viste bem ali em cima já háoutro post no qual és desafiada! Eheeheheheheh...
Beijinhos bem grandes aqui desta camadinha do oração!

Oliver Pickwick disse...

Texto delicioso. Deveria ser desafiada mais vezes.
Um beijo!

su disse...

oliver: Ainda tenho mais umas quatro músicas para apresentar. Obrigado desde já! ;)

Lenita Boneca de Porcelana disse...

Eh, eh, eh, o que os meus pais gostavam e ainda gostam desta música!! O que eles a ouviam e eu a ouvi quando era pequena!! Logo, se me perguntassem assim a vulso do nada, gostas de Moonlight Shadow do Mike Oldfield, eu dizia logo que não, mais que não fosse porque logo os dois meus pais gostam!!! Ah, ah, ah!!! Mike Oldfield não faz muito o meu estilo nem sei bem porquê... mas longe de mim sequer questionar a genialidade das suas criações!!

Ah e... a alma dói... quando se junta ao corpo ela adquire um pouco as suas características para que o corpo possa deixar de ser um pouco menos corpo do que seria se não tivesse a alam lá dentro...

E espera aí, proibiram a Candy Candy?? Meu Deus, a minha alienação vai mais longe do que eu pensava... nunca cheguei a perceber por que é que tinha deixado de dar, por que é que não tinham dado os últimos episódios... mas proibiram porquê, tens ideia??? :-((( Chiça...

Pois é... nós somos assim... o nosso mundo interior ocupa-nos tanto espaço e tanto tempo que temos de afugentar os que nos amam, pois sabemos que não teremos oportunidade para lhes dar o amor e o carinho que merecem... o meu complexo de culpa quanto a isso era tão grande que só descansei no dia em que fui eu a levar pedradas!! Enquanto tu te preocupavas com o vinil e as cassetes, eu até ia ouvindo uma coisa ou outra, poucas me tocavam realmente; preocupava-me mais com fazer roupas de papel para as bonecas!! Queria ser estilista quando fosse grande!! Raramente ia à igreja, o lado materno (tirando a minha avó) da minha família não achava a coisa assim lá muito bem enquanto o lado paterno puxava nesse sentido... eu só me sentia muito bem e muito protegida quando ouvia aquelas pessoas todas a cantar na missa e olhava para a cruz e para Jesus Cristo com muito respeito, sempre com a certeza de que aquilo que por ali se dizia não me dizia nada, mas que existiria concerteza uma explicação para tudo aquilo e que eu um dia iria encontrá-la...

Essa fase de que falas foi das melhores da minha vida, embora o bem-estar tivesse durado pouco e rapidamente tivesse dado lugar a graves problemas.

Lia muito, muito, muito.

Eu também brincava muito às professoras... gritava muito com os meus alunos e também dizia que queria ser professora, mas algo me dizia que aquela repressão toda sobre as criancinhas não estava lá muito de acordo com os meus ideais... eu dizia que queria ser professora, mas no fundo sempre soube que ia acabar a dar porcaria ahahahah!!!

Eu também queria um cão ou um gato; podia "tê-los" quando ia à terra do meu pai e, mais tarde, pude mesmo ter um gato ou vários gatos, porque mudámos para uma casa com quintal. Esta onde me encontro agora.

Eu também tinha irmãos nos amigos da rua, que eram às dezenas. Muita era a maluqueira, mas por acaso cairmos das varandas a baixo nunca aconteceu e ainda bem, porque por algum motivo que desconheço, tudo quanto era criança naquela rua morava no segundo andar!! Ahaahahah!!!

Bjoka, adorei este post...

su disse...

lenita: Era uma música que um grande significado por detrás...uma dedicatória ao falecido Lennon. Mas os melhores trabalhos do Oldfield são realmente os instrumentais, quanto a mim.
A Candy Candy foi proibida por pressão da Igreja pois achou que os últimos episódios estavam a começar de apresentar conteúdos um pouco perigoso em termos de influência às pobres criancinhas...os primeiros beijos da Candy Candy, o banho dela em que apareceu semi-nua...de costas...estás a ver?! E hoje os miúdos vêem de tudo e mais alguma coisa!! Enfim...padres no seu melhor...politiquices e influências até dizer chega!
Estes são dos nossos melhores tempos até à data...o que não quer dizer que não hajam mais tempos destes ou de outros melhores ainda. Não sabemos...só o tempo o dirá...só o tempo deixará a alma construir para além deste corpo as infinitas capacidades da alegria.

Um beijo imenso, querida amiga.

Lenita Boneca de Porcelana disse...

Jesus do Céu... a minha alma pasma por aqui de vez em quando... de facto, ainda vivemos no fascismo e pensávamos que não!!!

Opá e depois fico boquiaberta... como é que tu consegues este nível de informação? A minha mãe está em casa, sempre atenta à televisão, à rádio... nunca soubémos por que é que a Candy Candy foi, "suspensa" e os meus pais, ambos bastante bem informados, não sabiam que Moonlight Shadow tinha sido em memória do Lennon... vá, confessa-te... como é que TU CONSEGUES????

BEIJO DO TAMANHO DESTE UNIVERSO E MAIS DO OUTRO

PS: eu também acho que a liberdade, embora meio caótica, é sinónimo do melhor... porque um dia finalmente as pessoas iam ter de ficar entregues a si, aprender a pensar por si próprias e a tomar a responsabilidade pelos seus próprios actos... um dia isto teria de acontecer com todos os prós e contras...