Pesquisar neste blogue

quinta-feira, 13 de março de 2008

ENCANTAMENTO

Por entre os sinos as vozes sibilam antigas profecias.
De tempos que não os meus escondidos na manga.
Magias enegrecidas pela noite mais negra
Sem as farpas da luz rasgando esse tecido.
Cobre-me o corpo o desalento voraz de o ter esquecido.
O Infinito rejeitado e arrancado
Como erva daninha contra uma nova religião
Que não mais fez do que desligar
A alma fria do quente coração.
Por entre as esquinas cinzentas da compaixão
O orgulho escondido da memória alimenta-se do medo
E das sombras contrárias aos passos que são dados
Enquanto o dia caminha para o seu final feliz.

É o momento preferido dos fantasmas que se anunciam
Por detrás da consciência de qualquer um.
Os sussurros sobem em espiral
Como tatuagens de incenso ardente e despedaçado
Contra o ar que penso que respiro.
Dispo o corpo de palavras que me identifiquem
E sou a anónima do passado que se arma de lança e de espada,
Armadura e cavalo,
Sem encontrar o seu Dragão Encantado.
A sua luta empobrecida perde-se nas trevas distantes.

Pelas ausências e presenças,
Intervaladas,
De um bater de coração,
Do deslizar de uma lágrima,
Do peso de um suspiro,
No sobrevivente que já não queria viver.
Agora são as palavras que me despertam
Acariciando a alma em toques lentos.
Amante renascido de outra época qualquer
Decora o meu corpo,
Letra a letra,
Beijo a beijo,
Prece a prece
Como fórmula secreta de um antigo milagre.
Aquele que nunca se escreveria num livro.
Sagrado ou por sagrar.
E os murmúrios que repetem essa reza
Crescem como raízes confusas em transe
Que me puxam de novo para aqui.
Onde me sento a adivinhar o que foi o passado
De costas viradas para o que há-de vir.
Por cima do ombro
Espreita-me a eternidade.
Nas minhas mãos
Pulsa o sangue e a vida.
O presente do Presente.

Aceita-O.

22 comentários:

Kátia disse...

"...Por cima do ombro
Espreita-me a eternidade."

Simplesmente divino! Bebi essas palavras como se bebe o mais delicioso e requintado vinho.Nada como finalizar uma tarde de trabalho com um escrito tão belo.

Obrigada Su!
A cantiga soube bem.
:)

Ana S. disse...

Muito bom!
Aceita tudo o que achares de bom e não deixes a escuridão durar muito tempo. ;)
Beijinhos

su disse...

kátia: Eu continuo com a minha tarde e dia de trabalho. desde que acordei e vai ser até me deitar que ando à volta de testes finais e notas e correcção de trabalhos...e o que me soube bem foi ler um "elogio" daí dizendo que o que escrevi te soube bem a ti! :)) isto parece um trocadilho!
Beijos grandes. E obrigado.

ana s.: O que há de bom já é pouco comparado com o que queremos da vida. Somos sempre um pouco mais ambiciosos...um pouco mais do que a conta, quero eu dizer! Típico do ser humano! :))) Obrigado e muitos beijinhos.

Matchbox31 disse...

Fantástico este teu post! Adorei! Muito sentido e muito bem escrito.(como seria de esperar!)

muguet disse...

minha querida e encantadora su...
queria ter palavras para te dizer o que senti ao ler os teus fios...
queria-te dizer onde me levaram esses fios...
queria-te mostrar as cores que pintei em mim...

com toda a simplicidade, porque não consigo mesmo fazer de outra forma, digo...incrível, lindíssimo, fantástico...encantador, verdadeiramente encantador.

sabes, estou numa fase, naquela fase que me dizias há poucos dias que querias ver, de sorrisos, muitos :) e gargalhadas...
a tempestade passou, afinal o espelho estava turvo, o mar não me diria aquilo ;)
hoje, com a calma necessária para viver, olho para o passado e sabes...sorrio. sorriso saboroso, com sabor a paz e tranquilidade.
mas isso são outras histórias, um dia destes posto-as lol
(pois...não iria voltar a falar de mim...loooool)

isto tudo para te dizer que tomei a liberdade, a ousadia, de ler uma letra diferente no teu poema lindo...

"Nas minhas mãos
Pulsa o sangue e a vida.
O presente do Presente.
Aceita-O."

eu troquei o último "a" por um "o"...e aceito-o :), de braços abertos e sorriso na alma, porque sim, às vezes também há palavras de que não precisamos de nos despir...porque são nossas...ninguém as soprará para longe de nós :)))
descobri que o que sentimos no mundo é o reflexo de nós...e se vemos o mundo em cor azul cor de azul...é porque nós próprios somos azul cor de azul :D

beijoooooooo enooooorme linda su, cor de todos os azuis :))

Azer Mantessa disse...

astonishing along the way ... deep within the lines.

wow!

Dark-me disse...

Fiquei encantada com o teu post!

As tuas palavras são mágicas!

Dark kiss

su disse...

muguet: Ainda bem que realmente estás a sentir que a forma como vês o azul do mundo deriva da própria forma de vestires esse azul Isto é mais do que frase feita. É uma grande realidade no sentido em que tudo parte de nós. E porque não pintares e porque não descreveres o que sentiste ao leres estes fios soltos que aqui deixei na Teia? Era um bom desafio...pintares o ENCANTAMENTO! :)) Então aceita o presente do Presente e acieta o presente da su: Fica com o Encantamento. dedico-te este poema a ti e à vitória que conseguiste fazer, erguendo a tua alma, qual S.Jorge, da batalha contra as trevas de outro humor...partilho um pouco do meu guia (S.Jorge ou Ógum) contigo...deus guerreiro, sempre em batalhas, sempre vitorioso. E deixo-te, também, um BRIJO grande. Bem grande. Em troca de mais sorrisos.

azer: Thanks for your words. All that i wrote was really like a real way down to my own soul! Kisses.

dark-me: Então o encantamento resultou...eheheheheheh...ainda bem que gostaste, acima de tudo, que te tocou lá dentro...porque as coisas funcionam é assim: quando tocam bem lá dentro de nós...aí sabe-se que é verdadeiro. Um beijo grande.

alice disse...

bom, muito bom: "Por cima do ombro
Espreita-me a eternidade.
Nas minhas mãos
Pulsa o sangue e a vida.
O presente do Presente"

olá Su :)

o fim de semana na serra foi, de facto, muito bom. esta primavera espero explorar aqueles cantos com mais atenção.

quanto ao COHEN seria óptimo encontrarmo-nos lá. voltamos a falar mais próximo do grande evento :)
para mim também será uma prenda dupla (aniversário e aniversário de casamento) bem deliciosa.

eu bem te disse que os comentários andam sempre doidos! mas acho que está a funcionar. experimenta da próxima ;)

beijinhos

Flora disse...

Olá Su!
Bateu-me a saudade e vim fazer-te uma visita.
Li alguns dos teus mais recentes Post, o rescaldo da manifestação de professores, alguns poemas e voltei a sentir-me próxima de ti.
Um abraço daqueles nossos, um beijo, soube bem poisar na tua teia.

Beijos Mil
Princesa :-)

© efeneto disse...

Quero ter direito a comer um gelado em dia de chuva, quero ter direito a poder empurrar a bicicleta ao invés de pedalar, quero ter direito de olhar para o céu, mesmo que seja no meio da mata, quero rebolar na relva, mesmo que seja a relva do Palácio de S. Bento, quero ter direito de rir alto, bem ALTO, mesmo que esteja sozinho a ver o desenho do Pica-Pau que já era velho quando eu nasci, quero ter o direito de cantar uma música bem alta junto com o cd player oferecido, mesmo que seja uma música do Zé Cabra, quero poder discutir filosofia com o analfabeto do meu colega, mesmo que seja nos 15 minutos de intervalo do trabalho, quero poder beber com os amigos e voltar tri-bêbado para casa. Se para poder fazer isto tudo lhe tenha que desejar um bom fim-de-semana, então aqui vai:
Lhe desejo a si e aquém mais gostar/amar um óptimo fim-de-semana, com aquilo que sempre desejou acompanhado da minha amizade. Um beijo a quem é de beijos e abraço a quem é de abraços. Para quem não quiser nada disto, passe bem que eu também…efeneto.

su disse...

alice: Muito me contas tu...de facto, os anos atravessam-nos sem nós sabermos os tijolos que completam as nossas paredes...assim o dir«ta a distãncia e o tempo. Prenda dupla e isso seria bonito. Então serás um caranguejo também?! ;)) Vamos falando claro. Beijo grande, bem grande com sabor a sorriso.

su disse...

flora: A saudade é toda minha, querida Princesa. saudades dessas palavras que se espelhavam no teu cantinho de um modo tão belo e encantador. Estás sempre próxima...foste sempre das primeiras "permanentes" da Teia desde os seus inícios...então e este ano já houve PA do Claúdio?! ;)) Tenho tantas saudades...mas tantas. Saudades da pausa. É isso.
Beijo bem grande até ti, embrulhado em fios de seda.

su disse...

efeneto: Que desejo de bom fim-de-semana tão poético, tão cheio de sentimento. Quem é que o não quereria desse modo? Alguém seria capaz de o recusar? Apenas se recusam as coisas más...e essas tantas vezes já são inevitáveis...porque escapar das boas?! :)))) O mesmo desejo para ti, com direito a tudo de bom! :) Beijinhos.

Kátia disse...

Ah! Mais me soube tão bem que até quebrei o jejum em meu blog.E foi...muito bom!!!!

Sei o que é isso(de corrigir testes)já passei por esta.Mas,agora me vejo lenhada são com relatórios...bem,de todo modo estamos ativas!

:)

Tenha um excelente final de semana!!

Beijo,beijo,beijo***

Bia disse...

Um poema profundo e ao mesmo tempo enternecedor! Uma imagem belíssima! Uma postagem simplesmente maravilhosa!

Ficam sorrisos, pétalas e beijos para enfeitar o teu final de semana.

butterfly disse...

Bonito e tocante...a eternidade a espreitar...devemsos todos aceitar esse presente e guardá-lo como o melhor dos presentes...
beijinhos

Roberto disse...

Un bacio e un fine settimana
Roberto

Roberto disse...

BUON fine settimana..

muguet disse...

linda, linda, linda...mil obrigadas...pela dedicatória, pela amizade, por existires...
amanhã, sem falta, que hoje já é tardíssimo, vou cuscar o teu S.Jorge ou Ógum, o deus guerreiro, sempre vitorioso (sou tão ignorante...;)

quanto ao teu desafio...a resposta saltitou pelos fios da tua teia até encontrar um cantinho lá no meio dos aromas ;)

e hoje, sorrisos, muitos, muitos... com cor de beijo trocado ;)

Lenita Boneca de Porcelana disse...

Os monstros do passado tolhem-nos a identidade porque nos vedam o acesso ao presente do presente... esse momento em que conseguimos virar costas ao que h�-de vir e saborear exactamente o que se tem e o que se �. Mas as batalhas s�o assim, mesmo quando somos guerreiros involunt�rios... levam-nos o presente, misturam o passado com o futuro e... se �s sobrevivente, � porque, embora n�o sintas ainda essa for�a, �s agora mais forte do que dantes... e que despertar melhor do que esse que � provocado pelas palavras... as palavras que s�o as estradas da raz�o... a raz�o que nem sempre ilumina mas, por vezes, ilumina e quando o faz, a batalha chega ao fim...

N�o poderias ter dedicado mais acertadamente este teu espantoso texto (espantoso mesmo, quando escreves, deixas-me em sil�ncio, isso � um feito!!)... a nossa Muguet querida � uma guerreira incans�vel, uma guerreira que sabe tirar partido da vida e das coisas boas que ela tem para oferecer, que n�o teme a dor e se lan�a nos caminhos ditados pelo seu cora�o!

Um milh�o de beijos do tamanho do Universo para as duas!!!

Oliver Pickwick disse...

Li, encantado! Excetuando o seu post mais recente - o qual ainda vou ler, este é o seu melhor trabalho entre todos que li aqui no seu blog. Um poema grandioso.
Beijos!