Pesquisar neste blogue

domingo, 23 de março de 2008

RECONSTRUÇÃO

Tinha nas mãos os teus braços estendidos, sem perceber porque ficaste assim ali…impávido e sereno, com a morte como peso das tuas costas; com cada palavra que não disseste como prego arrependido, segurando-te à eternidade.
Caía suavemente dentro de mim o teu amor…um manto escuro por detrás da realidade que assomava à janela da inconsciência. Gota a gota, coração sangrando do sacrifício, soando as últimas palavras como sendo sempre as primeiras que eu esperava. A redenção do passado e a justificação da vida em frente.
Guarda a minha alma, material perene, dentro da tua…e quando ficares na cruz que seja a minha a ficar no teu lugar. Restando ao sabor do Tempo, lambida pela chuva, devorada pelo sol, acesa pelo ódio dos Homens, desgastada pelas suas mentiras e devassada em cada pretensa oração. Deixa-me ficar ali sozinha, mais só do que vou ficando, perante a incredulidade dos outros, que todos os dias fabricam os pregos que Te prendem a essa cruz. Pede a devolução da tua vida para outra vida melhor. Melhor do aquela que invadimos na privacidade das páginas sagradas escritas pelo Homem; aquele que foi dizendo que escutava sempre a voz do Teu pai, enquanto se esquecia de ouvir a própria voz dos seus semelhantes. Aceita a minha desconfiança como a única prova que Te reconheço mesmo assim…pois se não te desse o benefício da dúvida, não seria assaltada pela inquietação da tua existência. Perdoa qualquer coisa que eu não faça em Teu nome porque dizem que esse teu nome assim como do Teu pai não se conhecem e não podem ser soletrados. Não opero milagres nem pratico adivinhação. Não leio entrelinhas e sou cega a explicações. Não quero saber do próximo quando entre mim e ele não existe nada. Nascemos solitários e morremos da mesma forma, perante o circo desta vida, como consequência de um acto falhado de uma Eva perdida. Como se o primeiro erro humano fosse de uma mulher…sendo que o eterno erro humano é acreditar realmente nisso. Como a maça, não deito fora o pecado, abro os portões do teu Éden e deixo todos entrar. Combato o teu egoísmo e nivelo todos por igual. A serpente fica à porta e não te deixa entrar para que não caias em tentação de nos expulsar. Não há anjos caídos porque voam todos por igual.
E da costela do teu filho não nasce nada, nem homem nem mulher, a não ser a dor de pensar na sua solidão. Quem lhe molda o corpo, com mãos demiurgas e atentas, sabe tão bem como eu, que quem faz um faz o outro, mesmo que seja à sua imagem e semelhança.
Quando afasto a tua cruz do meu coração, em seu lugar, fica a sombra queimada na pele da tua existência. E continuam os teus braços nas minhas mãos e eu sem saber porque tinhas de ficar assim…sem mim…ou eu ali…ou outro…e não Tu…ou até porquê…se tudo o que fizeste ficou debaixo de tudo o que somos agora.
Do mundo que temos lá fora.

22 comentários:

bono_poetry disse...

estou arrepiado!!!

Azer Mantessa disse...

Hi su,

"I fight your egoism and I level all for equal."

I like this phrase among them all.

Happy Easter :-)

Bichinho disse...

Vou repetir um comentario...estou arrepiada. Beijo fantasma.

impulsos disse...

ESPECTACULAR!!!

Texto(s)
Imagens
Vídeo(música)

Tudo em sintonia perfeita, que só de ti conheço tal capacidade de criação singular.
Parabéns!
E como diz ali o bono_poetry, também eu estou arrepiada...

Beijo

O Sussurrar do Corpo disse...

...beijo...

Oliver Pickwick disse...

Ousado, audacioso, coerente, conflituoso, polêmico, contestador e, como disse o bono_poetry acima, arrepiante.
Tem sorte dos dominicanos não estarem mais por trás do Santo Ofício.
De todos os seus trabalhos que li aqui no blog, considero este como o melhor.
Beijos!

Gerlane disse...

Tantas palavras! Tantas expressões e sugestões a reflexões, que me atenho a dizer que está PERFEITO!

Beijos pra ti!

NeLiNhA disse...

mto bom :)

Teté disse...

Já li este texto prái uma meia dúzia de vezes, suponho que finalmente o entendi... Não é porque seja confuso, mas mexe com tantos "cordelinhos", que dá para seguir várias linhas de pensamento...

Só tu, para tocares em tantos problemas existenciais para os quais não existem certezas absolutas, em leis "divinas" que afinal são humanas, ao sabor das mudanças dos tempos...

Simplesmente extraordinário e fantástico!

Jinhos, querida amiga!

Lenita Boneca de Porcelana disse...

Querida, ainda não li nada e o melhor é não ler, se não deslumbro-me e perco o fio à meada... ando para aqui atarefada a tentar meter tudo o que tenho em atraso em dia, mas antes que me esqueça do que me pediste, deixo-te aqui o link para o blog dos meus livros... http://osmeuslivrinhoslindos.blogspot.com/

Em: http://osmeuslivrinhoslindos.blogspot.com/2007/12/livros-de-auto-ajuda.html encontras os livros que me serviram de escada em tempos de crise... talvez lá falte um ou dois, mas antes que eu tenha tempo de te organizar, de facto, uma bibliografia em condições, aqui fica já algo para te dar uma ideia... não foram marcantes, hoje a maioria deles nada me diz, mas... foi uma grande ajuda na altura...

Linda volto já... bjoka

Lenita Boneca de Porcelana disse...

Já li!!! E já comecei a responder ao teu desafio, não sei é se o vídeo já está no blogue... sabes, está a ser mais fácil do que eu pensava!! Olha, às tantas com o teu desafio descubro que afinal, se calhar, até tenho um bocadinho de passado, antes do limite dos 5 anos!! Que descoberta magnífica! Olha e, já agora, quando puderes, dá lá um pulinho ao meu impressionantes impressões... eh, eh, eh...

Mas, deixa-me cá, que já estou cheia de nervos:

Homem ambicioso... poderá um de nós arcar com as dores de todos? A dor de um sábio é a mais preciosa das dores, mas... poderá ela anular todos os nossos pecados, todos os pecados da Humanidade até ali cometidos? Poderá um de nós salvar a todos? Ele tentou. E com a sua palavra, mais do que com a sua dor, ele terá iluminado ou ajudado a iluminar muitos. É a iluminação que verdadeiramente nos redime dos pecados, mais do que a dor. Como tantos, ele sentiu o despertar. Sentiu a voz e a sabedoria dentro dele e por isso precisou compartilhá-la. Porque a sabedoria não o é de verdade se não servir a ninguém. Ele existe em cada um de nós, pois essa sabedoria que pede para ser revelada dorme na alma de todos e de cada um de nós, à espera de um dia ser despertada... ele procurava explicar aos seus irmãos como não sofrer procurando explicar como não fazer sofrer a outrém... esta, a nossa salvação... descobrirmos o segredo do mundo, desvendarmos as regras do jogo e termos o mundo nas nossas mãos... ele tinha razão, porém... só a vida e a dor que ele nos quis poupar deixam em nós as reentrâncias onde a verdade um dia deslizará com suavidade... as suas palavras, portadoras de luz para tantos, apenas revelam escuridão para quem não está pronto para o ouvir... e tantos escutarão exactamente a mesma mensagem segundo tantas outras palavras... tantos outros carregavam a mesma mensagem, mas por palavras diferentes... talvez um dia a Boa Nova chegue para todos... e todos façam dela o único entendimento dela possível: Paz na Terra... a TODOS os homens, mulheres... a tudo quanto existe.

Silence disse...

Exactamente, é mesmo aqui que temos a estátua do camões :P hehe e Constância é sem dúvida uma terra muito linda :)

Margem sul powa lol hehehe

Obrigado pelo comment, kiss kiss!

mixtu disse...

o pessoal está arrepiado...
bem...
deve ser do frio

yayyaya

pois... que te decir...

é muito denso, bem...

abrazos serranos

mixtu disse...

... sem pecados

O Árabe disse...

Lindos, Su... texto e imagens. Quem dera, fôssemos capazes de sentí-Lo assim, verdadeiramente dentro de nós! :)

Azer Mantessa disse...

hi su,

i just listed the songs in my new posting but they don't really answer the question.

hope it is good enough.

take care and have a good day

:-)

muguet disse...

petrifiquei...
tenho de cá voltar, tirar a música, que está extraordinária e reler um sem número de vezes.
para já apenas posso dizer, ou melhor, repetir...arrepia!!

mal consiga a disponibilidade mental que se exige, volto.
até lá...beijo :)

butterfly disse...

Antes de mais...texto forte...sentido de forma intensa...depois juntamente com as imagens ficou algo que realmente me tocou...
beijinhos

su disse...

Provavelmente Ele tentou...e quem sabe não conseguiu? Não terá suportado todas as dores do mundo...estas perpetuaram-se séculos fora e muitos outros carregam-nas às costas da alma, em vidas kármicas, sujeitas a evolução ou não...dependendo do estado de alerta que nós imprimimos a nós mesmos. as suas palavras de facto chegaram até nós, adulteradas ou não, com pinceladas novas de outras vozes ou não, seja como for elas aí estão indicando caminhos e direcções alternativas às nossas. descobrindo a luz entre todas elas de modo a não perder-nos na escuridão...
Mas estas grandes verdades, são muitas vezes, (in)suportáveis demais para caber no entendimento da nossa alma humana...

Lenita Boneca de Porcelana disse...

Num mundo repleto de tantos prazeres... como furtar-nos à dor? E o mundo está de facto repleto de prazeres, veja-se a amizade, veja-se o amor... veja-se o nascer e o pôr do sol, vejam-se os animais, a Natureza... e até os nossos objectos, as maravilhas da técnica e da ciência... um homem apenas não poderia equilibrar tudo isto... a sua dor foi certamente simbólica e mesmo assim foi já toda a dor que pôde suportar...

Pelo seu sacrífício e pela sabedoria que nos deixou, podemos estar-lhe gratos, embora tanto tenham utilizados para iluminar caminhos, como para tornar alguns ainda mais escuros e confusos, pois a verdade que serve a um ser humano, não serve a outro, já que todos temos cabeças diferentes, todos temos diferentes verdades...

Na alma humana cabe todo o entendimento necessário para que viva na luz e esclarecido... e, sobretudo, feliz... querida, temos de voltar a combinar depressa qualquer coisa, porque aquilo das saudades, sabes??? Eu ambém fiquei, eu também fiquei!

Beijoooo!!!

Falando de Amor disse...

passando pra desejar uma boa noite e parabenizar pelo lindo blog...bjos querida!

Matchbox31 disse...

Bela foto a da crucificada...