Pesquisar neste blogue

quarta-feira, 12 de março de 2008

...um pouco de paz...

"Esta é a luz da razão, fria e planetária.
As árvores da razão são negras. A luz é azul.
As ervas descarregam as suas mágoas nos meus pés como se
[eu fosse Deus,
Picando os meus tornozelos e murmurando a sua humildade.
Esfumadas, inebriantes neblinas habitam este lugar
Separado da minha casa por uma fileira de lápides.
Só não consigo ver para onde se vai."

in "A Lua e o Teixo", de Sylvia Plath

21 comentários:

Teté disse...

Estranha razão essa, plena de contradições...

Excelentes foto e música a ilustrar!

Jinhos, Su!

Post-scriptum - sem ter nada a ver, o post sobre o "Labirinto de Fauno" é desta Teia ou da anterior?

mixtu disse...

bem... esta silvia é cá das minhas... quer dizer, a última vez deram-me uma cousa que parecia um cigarro, eu cá desconfiei... mas.. disseram-me: não faz mal...
não faz mal?
passei a ver a luz azul e árvore negras...

yayayay

abrazo serrano, são textos demasiados densos para um pastor

su disse...

teté: Porque neste momento a minha espécie de paz prende-se com a indiferença de um grito mudo. Com a frieza da razão onde tudo aparenta bater certo mesmo o mais estranho...que assim deixa de ser estranho. E há conforto suficiente nas cores escuras, nos caminhos que se descobrem, na névoa que esconde. O retiro. Deixa de ser em mim contradição...

Penso que esse post do Labirinto do Fauno ainda está na outra Teia. Já viste o filme?!
Beijinhos.

mixtu: É o que dá experimetar-se coisas novas...nem que sejam palavras. Porque nunca são só apenas palavras. Todo o nevoeiro é denso...e oculata de quem quer encontrar...e quem continua a procurar perde-se tantas vezes...mas os pastores das serras são conhecidos por conhecerem todos os caminhos, não?! ;)

Beijos.

littledragonblue disse...

O Azul e a Paz complementam-se perfeitamente.
Que o teu mundo também seja azul.
Um beijinho meu:
littledragonblue

Liz / Falando de tudo! disse...

As arvores da razão são negras? Nossa forte essa não é mesmo?!
Beijos

Teté disse...

Obrigada, Su! Vi o filme na época, aqui o rapaz é que o viu ontem e veio-me perguntar um pormenor qualquer, que não me recordava...

Encontrei o texto do Taliesin, está a fazer agora um ano... Como o tempo passa, não é? :)

Jinhos, amiga!

impulsos disse...

Um cenário algo surreal, onde se perde a noção do caminho certo, apalpando terrenos de irregulares destinos...
Para onde será mesmo o caminho?

Adorei este momento azul!

Beijo

O Profeta disse...

O Sol abandonou o céu
A Lua ironiza no celeste
Soltas perversas vontades
Cruzam a tua vida agreste


Convido-te a partilhar a minha visão da forma em
como a vida às vezes é perversa para algumas mulheres…


Doce beijo

O Sussurrar do Corpo disse...

Beijo...

Matchbox31 disse...

Pode-se sempre esperar pela luz do amanhecer para ver o caminho certo...

su disse...

teté: É...o tempo passa, pula e salta num instante!Gostaste do filme?! Eu adorei...então a música... beijinhos.

impulsos: Gosto muito desta poetisa. Inspirada com uma daquelas escritas parece que quase em transe. Muito boa mesmo. O caminho? Qual será? Aquele que vamos fazendo...penso que não sabemos mais nada para além disso. Beijinhos grandes.

profeta: Já vou espreitar o teu cantinho, que o faço sempre com muita atenção e com todo o gosto! :)) Beijinhos.

sussurrar do corpo: Olá e um beijo em troca também! :)

matchbox: Haja luz...que os tempos são de escuridão! Beijinhos.

mixtu disse...

yayya
todos os caminhos, até o de benidorm... e com uma toalha comprada em vila real de santo antónio...

ps. um dia bebi um vinho meio marado, a verdade é que a serra não é boa para o vinho e fiz poesia com mi carmencita...
não deve ter qualidade, pois se vires no 2º comment, a minha actualtradutora (a oficial está doente) pede para quedar anónima
yayay

abrazos serranos

su disse...

mixtu: Mas isso é kitsh e o que é kitsh está na moda...já é algo considerado um pouco de contemporâneo e de arte. Então, és um pastor na moda!
Então olha lá, não é na serra que s epode beber o que se quiser que não se sente o efeito a não ser quando se desce a serra?!
E tu até tradutoras tens!!! :))
Beijinhos grandes.

Gerlane disse...

Mais uma vez o azul, a cor da profundidade e de uma bela tonalidade de luz.Mais uma vez, palavras, cor e imagem usadas na transmissão de sensações que nem ouso descrever, são tão...íntimas!

Beijos pra ti!

Serenidade disse...

Quero tanto, preciso tanto de ver a luz de paz que a todos nos envolve mas que ofuscados pela penumbra não a conseguimos ver....

Serenos sorrisos

su disse...

gerlane: Os tons de azul são tantos e todos eles tão belos. Tansmitem sempre uma sensação de paz, de calma, às vezes de paragem, pura e simplesmente porque tem de ser. Apenas isso. Um beijo grande.

serenidade: Tantas vezes cerca-nos um nevoeiro denso que não deixa ver a tal luz...mas nada é eterno. Um grande beijinho repleto de paz.

Kátia disse...

Que foto linda!!!!Amei!!!!
Que texto...Pronto! Me inspirei!
:)
Beijo e Cheiro!

su disse...

kátia: Haver inspiração é muito bom, Venha sempre ela de que jeito for, não é amiga?!
Beijo grande.

oceanus disse...

...luz azul...

para ti...serena luz azul.

bjs do fundo do Oceanus

Lenita Boneca de Porcelana disse...

A razão... eu gosto da razão, a razão ilumina... mas apenas por vezes, pois tantas outras parece confundiir ainda mais... talvez ilumine de azul, ou de negro, mas eu gosto de negro... o negro reúne em si todas as outras cores do espectro... a árvore cujo fruto é a razão será, pois, negra, a luz provém da escuridão... vamos para onde viémos, a nossa viagem é circular, esférica, espiral... e por mais que a razão ilumine, de negro ou de azul, nunca conseguimos ver bem para onde vamos...

Bjoka

Oliver Pickwick disse...

Texto refinado, sombriamente belo e de uma criatividade ilimitada.
Não conhecia esta autora.
Beijos!