Pesquisar neste blogue

quarta-feira, 5 de março de 2008

Quem sou eu?
Que faço aqui?
Nesta praia improvisada
Que me entra pela janela
Da alma partida
Desgastada...
Sinto-me cansada...
De uma vida já meio vivida
Onde os sonhos se afundaram
E os destroços me rodearam
Nesta praia que ninguém conhece
Perdida no oceano das esperanças
Que também se afogaram...
O terço já não me chega
Mesmo que com ele rezasse...
Resta-me o guarda chuva
Que me servirá de vela
E o barquito de papel
Talvez reciclado...
Para de novo me lançar
Por esse mar adentro
Em águas já mais calmas
Até onde o vento me levar...

texto de impulsos ( do blog Impulsos da Alma)

...mais um belíssimo poema que nos foi deixado pela impulsos, para texto do post IMAGEM PROCURA TEXTO. Entre fios antagónicos da doçura e da raiva, se batem as palavras numa ritmada e cativante dança de significados. Obrigado, querida amiga de há algum tempo nestas andanças virtuais.
Onde vamos buscar as nossas forças "extra"?!
Álbum aconselhado: "My Blueberry Nights - Soundtrack" ( e já agora, o filme também vale muito a pena!)

17 comentários:

NeLiNhA disse...

hmm, adorei o texto!!!

Teté disse...

Belo!!!

Como uma imagem pode ter tantos sentidos... Curiosa, esta tua ideia! :)

Jinhos para ti e carícias aos bichanos....

Lenita Boneca de Porcelana disse...

Olha, a Muguet disse que fôssemos andando... bute lá? Uma das músicas da minha vida: Bittersweet Symphony, dos The Verve...

Quanto ao texto... simplesmente incrível, já não me lembrava... extraordinário mesmo...

Por vezes o nó na garganta não deixa perceber a fonte de luz e de força que trazemos no peito... aquela que nasce com todos nós e que diz que qualquer que ouse nascer neste mundo de doidos terá, se assim o desejar, o direito a ser feliz...

A Vida gosta de nos complicar o labirinto dela própria rodeando-nos, por vezes, de destroços, atirando-nos para momentos em que duvidamos se alguma coisa, alguma vez faz ou fez algum tipo de sentido...

Na sua crueldade, a Vida dá-nos um momento de descanso... para respirarmos, para nos lançar na guerra outra vez, renova-nos as esperanças para no-las tolher novamente... porque a Vida é desconfiada e precisa de permanente prova de que acreditamos nela de verdade...

Porém, chega sempre o dia em que ela se contenta... e nessa altura ela é generosa, deixa-nos perceber a beleza e o sentido de tudo quanto existe... faz-nos sentir que viver vale bem a pena...

Bju!

Borboleta disse...

As forças extra? Acho que vamos buscá-las dentro de nós! Olhando para trás, pergunto-me onde já fui buscar "aquela" força. Resposta: a mim mesma...

:D Beijinhos esvoaçantas para ti!

tonsdeazul disse...

Lindíssimo!

impulsos disse...

Querida amiga, deixaste-me sem palavrs para comentar as minhas...

A música é incrível!
Lindíssima mesmo.

Estou embevecida com o som que me entra pelos ouvidos e me inunda por dentro...

Sim, onde vamos nós buscar as nossas forças, quando tudo parece perdido e à nossa volta se amontoam os destroços de algo que nos mantinha vivos?

Resta-me pois, agradecer este maravilhoso momento de paz e reflexão, criado por ti, para mim e para todos os que se predem como eu, nesta tua imensa teia de emoções tão especiais.
Bem hajas por tudo!

Beijo

impulsos disse...

Esqueci-me de comentar a imagem que escolheste para este post.
Não poderia se melhor, parece que foi feita de propósito...

Beijo

mixtu disse...

sem dúvida um belo texto
triste... mas parece-me que o triste é mais belo em poesia
ai como eu adoro poesia (agora até me engasguei, yaya) e se for poesia triste... gosto particularmente daquele em que a poeta llora porque o enamorado foi-se, muitas vezes só comprar tabaco mas atrasou-se
será que as mulheres não sabem que só se vai avisar a GNR depois de passados 7 dias...
que chatas são as mulheres, é que depois está um gajo a ler um livro no meio de uma floresta e lá vem a GNR: a sua mulher procura-o e já anda na net a escrever poemas...

yayaya

amiga linda, dá os parabéns à impulsos

abrazo serrano desde o Mali

Liz / Falando de tudo! disse...

Su, so passei para dizer que eu aceitei teu desafio sim e ja respondi faz algum tempo!!
Todo mundo que comentou adorou!! e eu também obrigada!!

Fiz um outro blog so de fotos, se quiser conhecer:
www.falandodefotos.blogspot.com

Kátia disse...

Apropriadíssimo! Essas são questões que sempre me faço:
Quem sou eu?
O faço aqui?

Belo texto e a canção de fundo fez rolar uma lágrima em meu rosto...muito linda.

Obrigada por suas palavras em meu espaço.Sempre precisamos seja de uma palavra,um olhar,uma escuta,um ombro ou simplesmente o silêncio que nos diz tanto.Obrigada mesmo.
Beijo!

un dress disse...

parece-me lindo...viajar em barco de papel reciclado...

[ depois dum naufrágio...grande acto de coragem!! :)

e vamos buscar forças aos créditos que o amor e a confianaça semearam em nós...




beijO

un dress disse...

cat power!! - gosto muito!!

mixtu disse...

já deste os parabens?
yayay

abrazo serrano

su disse...

nelinha e tons de azul: É mesmo para adorar, não é?! Está lindo, lindo! Beijinhos para as duas.

teté: É engraçado como nós temos sempre perspectivas diferentes uns dos outros...e é nesta diferença que está o "ganho"! ;)

lenita: Gosto muito dessa música dos The Verve. Tens uns bons anos mas está sempre bem audível. Olha a minha resposta pode ser: Massive Attack com o tema "Unfinished Sympathy", que também já é "velhinho" mas que para mim é um dos temas da minha vida. Que dizes? Gostas? Às vezes não sei até que ponto nascemos todos com direito a sermos felizes...não encontro a mesma igualdade ou oportunidade para todos. Mas se calhar é mesmo uma questão de força e de vontade, não sei. Mas como tudo funciona por fases, acabamos por experimentar um pouco de tudo, talvez...E nos momentos mais em baixo perdemos o rumo, e quando o ganhamos de novo encontramos o caminho, e assim, neste pára e earranca, a vida continua até chegarmos a um determinado lugar qualquer. O nosso lugar de destino. Seja ele como for.Que os momentos amis positivos funcionem como o farol e luz-guia dos momentos mais dolorosos e nos ajude a sair dos primeiros ainda mais depressa. Porque tudo o que ela (a Vida) nos oferece tem mesmo de valer a pena. Beijinhos BEM GRANDES, amiga.

borboleta: Pois...deve ser mesmo. Nós somos um depósito bem grande de energias. Às vezes esquecemo-nos é delas. : )

Beijinhos grandes para ti.

impulsos: Ainda bem que gostaste do que seleccionei para ti. Foi com todo o gosto e carinho. Mereces o melhor! :)) E o talento é realmente teu. Se encontras paz por aqui ainda bem. É sempre bom saber que podemos "dar" coisas positivas aos que estão à nossa "volta". Beijinho bem grande, grande poeta!

mixtu: O que é que não fica bem e belo em poesia?! Bem...algumas coias, é certo...mas na verdade, o trsite e nostálgico funcionam sempre como algo cativante na poesia. E tendenciosamente acabamos muitas vezes por nos identificarmos mais com esse género de poesia...talvez por nos sentirmos mais frágeis, não sei... Beijo grande, pastor poeta...e cuidado com os versos...não com os cigarros! ;))

liz: desculpa...estive um pouco desligada da net e nem cheguei a ver. Logo, logo vou procurar e e comento então. Está bem?! Beijinho grande.

kátia: Há sempre perguntas fétiche do nosso cérerbro ou lado intelectual. Perguntas que nos incomodam e agitam dentro da nossa caminhada espirutual ao longo d a vida. Mas é bom partilhá-las com os outros. Conhecer diferentes pontos de vista. Obrigado eu pelas tuas palavras. Beijo bem grande.

un dress: É eu também gosto de Cat Power. "Resulta" sempre bem! :)
Às vezes é difícil mentalizarmo-nos que temos créditos que ficam desses sentimentos...mas é verdade, alguma coisa bem grande reside dentro de nós, não é?! Beijo bem grande!

mixtu: De novo, parabéns a quem?! Não percebi...yayayayayaya!

Oliver Pickwick disse...

Querida Su, continuo apreciando muito esta sua criação genial, "imagem procura texto". O nível dos trabalhos exibidos até agora, realmente são acurados. Como esta poesia da Impulsos, por exemplo.
Uma boa idéia é essencial.
Beijos!

muguet disse...

tão eu este texto...tão eu...

beijo, para três: impulsos, su e lenita

Lenita Boneca de Porcelana disse...

Linda e maravilhosa SU... a felicidade TEM de ser uma opção, ou nada faria sentido... não deixemos que os obstáculos que se lhe interpõem nos façam acreditar que ela não existe!

De praia improvisada em praia improvisada, vamo-nos refugiando como podemos dos rugidos dos monstros assustadores que habitam o nosso interior... o momento em que apenas os contemplamos, do alto da nossa praia improvisada, e não nos deixamos assustar por eles, é o momento em que é vencida a batalha final... e para a batalha final ser vencida, tudo o que precisamos é de ter a noção desse momento... impossível é apenas aquilo que a mente não consegue vislumbrar...

Não vais acreditar, mas Unfinished Sympathy é, dos Massive Attack, um exemplo daquilo que eu não gosto, não pela música, que acho linda, mas pela maneira de a moçoila cantar! :-PPP Ah, ah, ah, e esta hein? Bem dizia a minha psicóloga, eu sou um bocado imprevisível, chego até a ser desconcertante!!
:-P

Mas sabes, como gosto muito do estilo e das músicas deles, acabo a ouvi-la bem, tenho-a nos meus favoritos do youtube e tudo, porque sempre é um clássico dos Massive Attack, pelo que acho que DEVEMOS colocá-la na nossa playlist, BOA??? :-D ;-P

Dá-me só um bocadinho, para comentar aqui todas as coisas liiiinndas que para aqui tens e para ir ao blogue da Muguet também meter o bedelho em tudo, que depois dou-te então a minha contra-sugestão! ;-)

Beijinho muito, muito grande, linda!

Aaaaahhh!! Muguet!! Este texto... tão tu? Talvez, por um instante... mas eu não vejo vestígios de grande cansaço, nem de alma partida ou desgastada... nem sonhos afundados, nem destroços ao teu redor... tudo o que vejo é enorme força de viver, grande coragem, enorme gosto pela vida!! Vejo apenas uma incrível energia vital que jamais se apagará por mais que façam por isso!

Beijo enorme... com sabor a... muita, muita força!