Pesquisar neste blogue

segunda-feira, 10 de março de 2008

MANIFESTAÇÃO DOS PROFESSORES: Marcha da Indignação!

Em jeito de antecipação e, ao mesmo tempo, de "revisão", deixo aqui o meu contributo, ou melhor, o meu grito virtual mas real, sobre o que se passa na Educação. Digo antecipação porque no terceiro período, todas as segundas, irão ocorrer manifestações por todo o país; e revisão porque dou o meu ponto de vista do que foi a manifestão deste Sábado passado.Os professores estão de luto esta última semana do segundo período.Irá ser assinado um abaixo-assinado para ser entregue ao Primeiro-Ministro e irão decorrer as tais manifestações semanais, das quais já falei. Sexta-feira, dia 14, será feita Greve Geral da Função Pública. Nesta manifestação de docentes (leia-se pessoas com qualificação para exercer a sua profissão) estiveram presentes cerca de 100 mil profissionais do ensino. 100 mil professores que se juntaram para dar o seu grito de revolta (sim, é preciso gritar visto que a ministra anda surda!), no Sábado passado, dia 8 de Março, iniciando a sua marcha no Marquês de Pombal até ao Terreiro do Paço, onde se escutaram uma série de discursos, poemas e cantigas de outrora. Nunca tinha visto tantos autocarros juntos a estacionarem em Lisboa. Pelos vistos, as forças policiais também não, visto que fizeram questão de deter alguns autocarros com professores na estação de Aveiras, de modo a não comparecerem na manifestação. Aliás, as forças policiais estiveram mesmo em cima do acontecimento, mesmo antes da manifestação! O seu empenho foi tanto que uns dias antes andaram de algumas escolas em escolas, à paisana e noutras à descarada, a tentar saber quem eram e quantos eram os professores que iam participar. Claro, entenda-se que os motivos deles eram apenas por uma questão de organização do trânsito, como vieram dizer mais tarde. Sim! Esta forma de actuação, conjuntamente, com a da "sinistra" da educação, parece-me mais daquelas atitudes típicas (que não cheguei a presenciar...mas a história e os mais velhos contam!) salazaristas, fascistas, autoritárias e ditatoriais. Controle, pressão, castigo, monólogo...muito monólogo. Os professores falam para a parede...ou para uma cabeça vazia (parece-me mais este caso!). É de frisar que os professores não têm medo da avaliação. Aliás, somos avaliados todos os dias assim que entramos numa sala de aulas. A todas as horas em que lá estamos. Passam-nos pelas mãos mais de quatro turmas diferentes por dia, por vezes. Não há medo. Apenas se contesta o modo como esta avaliação quer ser conduzida, nos prazos ridículos que nos dão, nos moldes ridículos e ditatoriais (mais uma vez!) em que se inserem, assim como o índice de trabalho que foi avolumado para além daquilo a que um professor, por "natureza", se deve dedicar: ENSINAR! (Entenda-se ensinar no seu genuíno sentido da palavra, pois hoje em dia, somos obrigados a dividir esta tarefa com o EDUCAR...para o qual não fomos formados e informados quando tiramos um curso!). Estão a derrubar por terra, o dom e o gosto do ensino. Estão a humilhar os professores. Editam uma série de leis que imaginam ser as adequadas aqui para o Zé Povinho (que é o seu tubo de ensaio), manifestando uma óbvia ignorância do que é ser professor, dia-a-dia, todos os dias, na escola e em casa (porque em casa também temos coisas da escola para fazer...e não são assim tão poucas! Não encerramos a porta do trabalho às cinco da tarde e o trabalho fica na gaveta!). Estes senhores estão lá no alto do seu poleiro, não estão a "dar ao litro" no campo do trabalho. Estão completamente distantes do que é estar no ensino e numa sala de aulas. Lá nos seus sossegados e confortáveis escritórios, de onde nos observam, devem sentir-se como uns deuses. Mas estes deuses estão loucos...ou para além disso, surdos e cegos! Exigimos, tal como todos os outros trabalhadores estão a exigir cada vez mais e com razão, RESPEITO. E aqui fica a dedicatória daquele clássico da Aretha Franklin "RESPECT" para a "sinistra" da educação, que continua naquela atitude arrogante e autista de alguém que não está nada aberto ao diálogo, nem lhe interessa estar. E ao seu lado, temos um senhor que se denomina por Primeiro-Ministro, que faz panelinha com a "sinistra". É um Sócrates feito à imagem do outro (que no fundo até sabia o que dizia!): "Só sei que nada sei!". E não é que não sabe mesmo?! Ou finge que não sabe? Porque nós sabemos que estes testas de ferro servem outros senhores de guerra, anónimos e discretos, que assim actuam com os seus fantoches privados. Os tais "gatunos políticos"!
Apesar de ter sofrido uma intervenção cirúrgica nessa manhã, na extracção de um dente de siso, não deixei de estar presente na manifestação. Foi visível o apoio que a população nos prestou, nos passeios, aplaudindo e dizendo que estavam do nosso lado, entre outras coisas. Quase no final da manifestação, o comício no Terreiro do Paço incitava à união e à acção dos professores nesta luta desigual, sem eco, ao mesmo tempo que ainda estava a chegar a "cauda" da marcha da Avenida da Liberdade, com os professores da zona norte do país.
Os gritos de ordem foram de facto: a demissão da ministra da Educação, a renegociação do Estatuto da Carreira Docente e a suspensão do processo de avaliação de desempenho. Porém, eu acredito que a demissão desta "sinistra" não resolva as coisas. Quem para lá fosse actuaria do mesmo modo. Para além disso, está mais que visto que o "cão do Tintin" ( não sei se se lembram do nome dele; mas achei a expressão engraçada, vinda de um amigo meu que também se manifestou) não larga o osso nem arreda pé da sua decisão política. Acima de tudo, não está aberto ao diálogo.Por mim, está mais do que chumbada!
P.S. Não sei se sabem, estes do PS (sem ser do Post Scriptum!) também vão fazer um comício na rua, este próximo Sábado dia 15 de Março, como resposta a esta manifestação...a seguir cenas do próximo capítulo...

22 comentários:

Paulinha disse...

A minha professora de biologia esteve lá...
A mim as manifestaçoes passam-se ao lado. Um aglomerado de gente revoltada e a perder o seu tempo para isso ser apenas um facto a ignorar pela ministra. Mas como nao nos devemos acomodar as situações, parece que não h+a escolha...
Beijinhos

su disse...

paulinha: Provavelmente passam-te ao lado enquanto não sentires realmente na "pele" os efeitos de determinadas decisões políticas como estão a ocorrer agora. Se não fosse por acção de conjunto de gente revoltada o 25 de Abril nunca teria acontecido...e o tempo que perderam não teria feito ganhar-se esta, por enquanto, liberdade de expressão que tanto tu como eu, temos. Não, não nos devemos acomodar. A situação exige que assim não aconteça.
Beijinhos. :)

mixtu disse...

amiga linda, sei que o tema não era esse mas quedou na minha memória o teu dente do siso,. quer dizer que a partir de agora vais ter juízo?
yayayay

ps, sobre o tema não meto colher, não sei suficiente...

abrazo serrano desde o Mali

su disse...

mixtu: Não é preciso saber muito...aliás, o assunto está à vista de todos...está a passar-se em vários sectores da nossa sociedade, com este governo autoritário que temos à nossa frente. Enfim...
Ah, pois...juízo...bem, ainda me estão a nascer dois dentes do siso...e não imaginas como fiquei com esta extracção após a manifestação: de repouso, porque teve quase uma hemorrogia. Agora, quase nem falo! É para não dizer asneiras! O que é que achas?! ;) Eheheheheheheh...beijinhos grandes.

Teté disse...

Boa, SU! Todos temos o direito a indignar-nos com o que se passa e o autoritarismo vigente, muito semelhante ao do pardacento salazarento. Os episódios da polícia a inquirir nas escolas qual o nº de professores participantes, só por si é elucidativo... :(

Não tenho a certeza que a substituição da ministra, em si, resultasse numa nova política, aliás, tenho até sérias dúvidas: muda o nome e a cara, mas fica tudo na mesma!

Mas embora eles digam que não, dois terços de professores em manifestação causa-lhes confusão e perturbação...

Por mim, a luta continua e continuará, sempre que estiverem em causa interesses públicos que nos tocam a todos (hospitais, escolas, tribunais, etc. e tal)!

Jinhos, amiga, e boa recuperação dessa cirurgia!

©carmen zita disse...

Boa reportagem, a tua.
Boa recuperação, desejo eu.
Beijo grande!

Paulinha disse...

Sim, tens razao, nao sabemos o que é mau ate sofrer na pele. E a nossa unica arma de defesa sao as manifestaçoes que foram ate agora o nosso unico metodo de defesa contra as leis que parecem querer manipular-nos.
E como é sempre bom ver os dois lados das coisas, obrigado :)
Beijinhos

Sandra Charrua disse...

Eu também estive lá...Sou do Norte e penso que,sem dúvida, estamos todos unidos pela mesma causa!

su disse...

teté: Por enquanto parece que ainda vamos tendo este direito de nos indignar-nos, não é? mas a um professor da Universidade do Minho obrigaram-no a fechar o blog que este mantinha, devido ao alvo das saus críticas políticas; caso não fechasse demitiam-no. Este é apenas só um dos exemplos. Estas coisas indignam e fazem-me duvidar dos festejos do 25 de Abril que se aproximam entretanto. Andamos a festejar máscaras e faz de conta, quando caminhamos para o outrora e antigamente?! Não, a substituição da ministra só por si não chega. O governo devia ser todo ele substituído. São todos farinha do mesmo saco! Dizem que não lhes perturbou esta manifestação gigantesca, no entanto agendaram um comício na rua para este Sábado próximo. Adoptam as mesmas medidas dos professores?! Acho que não é só a Educação que está em crise. São vários os sectores. E todos deviam deitar mãos à luta que se anuncia. Estou bem melhor depois das doses da cortisona, amiga. Obrigado. Beijinhos bem grandes.

carmen zita: Obrigado. Já me sinto muito melhor. Quase que me arrisco a dizer que estou pronta para outra...ainda tenho dois dentes do siso para repensar a questão. É o que dá ter os ossos bem fortes, como disse o dentista. Beijo bem grande.


paulinha: A questão é mesmo essa: a forma como nos querem manipular e entreter com algumas "migalhas" que nos atirem! Se não temos mais nada em nosso poder para actuar contra porque não usar do poder da manifestação e nela combinar mais estratégias?! Sempre é um direito que nos assiste...obrigado eu. Beijinhos.

sandra: Parece-me que conheço o teu nome! Mas nomes há muitos e nós somos muitos também. Esperemos que esta união que conseguimos com esta manifestação não se desmembre tão cedo...porque a nossa classe, que não é ainda classe, é no entanto muito frágil! Beijinhos. E força!

Kátia disse...

Su: Eu vejo as manifestações como algo necessário quando o que é imprescindível não caminha a contento.Comungo da mesma insatisfação embora em país diferente.As questões desse lado de cá não diferem muito e urge uma mobilização como esta para que a educação não continue tão mal das penas como já está.Admiro esse grupo que tomou tal iniciativa,por aqui mesmo que isso aconteça,os professores são tratados como escória.Apesar de amar educação e insistir em continuar nessa área,qualquer dia desses desisto e vou viver só da arte.Não lenha tanto meu juízo.
:)
Gostei da Aretha Franklyn aqui.Essa canção faz parte de meu repertório de músicas da família(qualquer dia conto o que é isso)

Beijo,cheiro e muita força pra continuar lutando.

su disse...

kátia: Na realidade, talvez esta questão da educação esteja assim tão mal tratada em muitos países. Os professores são esquecidos na sua nobre tarefa nem que seja de ensinar as primeiras letras, as primeiras frases articuladas, as contas do mundo, a interpretação das coisas...coisas enfim essenciais para a compreensão e base de todas as outras profissões. E as pessoas teimam em esquecer essa questão.
Seja como for, ao menos podemos indignar-nos, não?!
Pois, agora fiquei curiosa com isso do repertório de família!! :))
Beijo grande.

cõllybry disse...

Uma realidade bem cruel,esta a juntar a tantas outras...

Estou de volta...Bjca terna

su disse...

collybry: É bem verdade, amiga. bem-vinda de novoa a estas andança virtuais. Beijinhos.

poeta_silente disse...

Su. Minha amiga querida.
Infelizmente não tenho conhecimento do que está a ocorrer, mas pelo teu post posso ter uma idéia.
O que poderia te dizer? Acho que nada. Pois o mais comum é calarem a boca das pessoas que querem uma educação mais séria, mais apta, mais responsável pelo crescimento do ser humano. Aqui no Brasil a educação é uma piada. Além de professores desqualificados, em razão da falta de qualificação dos professores que lhe ministravam aulas (e da falta de vontade dos dirigentes em aumentar a educação do povo... além disto e de muitas coisas a mais, a remuneração dá vontade de rir... hehe.
Assim... como minha vivência é longe do teu país, nada posso acrescentar.
Deus te abençoe, querida.
Beijos
Miriam

Azer Mantessa disse...

so this is the education thing you did mention about. what a rally.

it shows bravery :-)

Sandra Daniela disse...

Su... entendo perfeitamente a indgnação e apoio! Há quem diga que é tempo perdido, mas eu acho que não! Há que fazer ouvir a nossa voz! Todos juntos é que fazemos uma nação, não são apenas as pessoas que estão no comando do Pais!

Força

P.S.:Sexta-feira também vou a Lisboa, a uma manifestação!

su disse...

poeta-silente: É sempre assim, quem anda pelo poder fica cego pelo mesmo e quem se "lixa" somos mesmo nós. Arcamos num ciclo vicioso com tudo e mais alguma coisa, não só a nível da educação. Não há investimentos e aguenta-se com o que se tem, esperando milagres e coisas do género! Sei como é a situação no Brasil pois tenho família aí, e um primo meu seguiu ensino, a nível de História, penso eu.
Beijo bem grande para ti, querida amiga.

azer: Bravery or trully indignation about everything is going on... it`s time to try to do something! :))

sandra daneila: Não sei qual é a manifestação de que estás a falar...pois é, supostamente seria a voz do povo quem mais ordena...e até seria verdade se existisse uma real união entre todos. O que não poderíamos conseguir!
Beijo bem grande para ti!

Sandra Daniela disse...

Su: respondendo á tua pergunta acerca da manifestação de amanhã, vê aqui: http://www.stfpcentro.pt/paginas/pdf/Comunicados2008/Fev08/011_FP_Geral.pdf


beijinho

Matchbox31 disse...

Bom, devemo-nos ter cruzado por lá!
Lol!
Há que fazer barulho, muito berulho contra o que está errado e lutar sempre pela liberdade e pela justiça!

su disse...

asndra daniela: Já ui ver. Qualquer que seja a manifestação, contra este actual governo, e apresentando as razões que realmente são, são sempre de apoiar. FORÇA! Eles precisam de pressão e de a sentir também... Beijinhos grandes.

matchbox: fazer barulho lá fazemos...vamos a ver no que dá!! Beijinhos.

Lenita Boneca de Porcelana disse...

É com tristeza que constato que estas pessoas, à força de quererm fazer o que está certo, porque acredito verdadeiramente nas suas melhores intenções, face a toda uma conjuntura, que também incorpora as inevitáveis pressões a que todos os políticos estão sujeitos, terão, um dia, de se haver com as suas próprias atitudes... é assim com todos, não poderia deixar de ser assim com eles... a falta de bom senso costuma pagar-se cara, assim como a dor que é provocada aos demais. Pena que, quando esse dia chegar, já todos nós tenhamos visto deteriorada a nossa carreira e, sobretudo, a nossa missão. Estas pessoas prejudicam de forma mais ou menos deliberada a vida dos que são professores e também a vida de todos aqueles que cada vez menos vamos tendo forças para agarrar, na nossa quase vã missão. A cegueira e a surdez voluntárias costumam pagar-se muito caras, assim como ter efeitos catastróficos ao seu redor...

Achei curiosa a questão do "educar" que colocaste... sempre achei interessante a ideia de que o professor deve educar mais do que ensinar, pois o conhecimento que a educação permite é mais próximo do indivíduo do que aquele que o ensino permite... logo, mais estruturante, porém... de facto, tudo o que recebemos foram luzes a respeito de como levar a cargo essa difícil missão que é a de "educar"... sobretudo, porque nos foi dito que educássemos para a pluralidade, para a liberdade, para permitir ao indivíduo descobrir-se, porém... parece-me que quanto mais tentamos educar segundo os actuais moldes, mais alienamos, mais escravizamos, mais reprimimos...

Isto precisa levar uma grande volta, ai precisa precisa... se não...

Bjo

muguet disse...

finalmente li o teu post...
livra, estava mesmo difícil :(

e apenas tenho uma coisa a dizer, mais um pedido a fazer...posso assinar por baixo???

estes senhores que infelizmente têm o poder de mandar são as maiores "abécolas" que já vi nos últimos tempos. E olha que já ando nestas andanças há 16 anos...

Enfim...não é preciso mais palavras. Já disseste tudo.

Apenas acrescento uma coisa, a forma como, há um bom par de anos atrás, começaram a campanha, a denegrir a imagem dos professores, a coisa mais suja e baixa que se pode fazer.

Quanto à foto...absolutamente incrível!!!
"coincidências"!!!!....... realmente há por trás disto tudo uma sintonia extremamente impressionante. quem sabe o que ainda virá pela frente...

volto mais tarde para ler estes coments, que hoje não deu tempo para tudo.

linda, espero que o sol já tenha começado a brilhar por esses lados, pelo menos aos pouquitos...

beijo grande, grande, amarelo forte, cor de raio de sol (porque o sol, sim, claro, é azul ;))