Pesquisar neste blogue

segunda-feira, 31 de março de 2008

TEMPO DAS SOMBRAS

...parece que qualquer passo que dou afasta-me a mim mesma para além da carne ousada a alma desprendida e eu não sou eu nem outra como dizia o poeta porque assisto-me impotente na marcha indiferente em cãmara lenta até ao final dos dias de quem quem quer que seja até dos meus e a sombra que pestaneja à luz do fogo do meu olhar não é mais do que um abrir e fechar de olhos que demora uma eternidade até conseguir ver alguma coisa de jeito...defeito meu... ...somente silhuetas de um tempo que as sombras não apagam...noites de medo que exalam sentidos esquecidos...variações de humor por um vestir de pele sem roupa quente...o tempo não apaga...aumenta, não de forma desigual... aumenta no tempo... no meu... tempo cronométrico..aquele me faz ver sem ponteiros a deslocação da vida... ...em que as sombras se queimam a contra luz como se fossem asas de borboletas semi-apagadas na noite quente e nua...a pele transparente marcada pelo tempo cronométrico inspira expira a vida voraz entre os soluços da morte...em qualquer tempo...o teu, o meu, o deles...
...maldito tempo......refugio em ti entre grãos de areia...não desertifico o meu eu ...queima o pouco das cores...refaz tela ...se justo dá-me cor...nos azuis de mariposa...no movimento da garça...no pelicano me escondo das sombras que trago...enleva o meu dar...vem, deixa sair desta caverna...atrasa o meu tempo!!! ...entre grãos de areia a tempestade de nada saber...o eu passa a dois quando a sombra se põe atrás de mim e é artista impregnado na sua obra de tintas e de pincéis sem nexo e sem direcções sendo cada uma delas semelhante a pequenos oásis que voam a cada aproximação...e a cada fuga do Tempo...a caverna está em mim e quem está nela conhece o meu monstro...sou eu o próprio tempo...
...um diálogo a duas vozes, coerente, mesmo que parecendo algo alucinado, que foi surgindo a partir do primeiro texto a rosa (su), e com continuação a azul (do bono_poetry, do blog TEMPOCRONOMÉTRICO), e depois a rosa novamente, azul, e assim sucessivamente...
Sugestão musical: álbum "Cascade", de PETER MURPHY

29 comentários:

Lenita Boneca de Porcelana disse...

Aliás, não sei o que acontece ao que vocês os dois escrevem que se completa de uma maneira arrepiante... como é que vocês fazem??? Linda!!! Olha, Novalis??? Tu já estás habituadinha aos meus shows de ignorância, por isso nem me vou dar ao trabalho de disfarçar!! LOL!! Opá, genial, o senhor roubou-me algumas das ideias, já viste?? Não há direito!!! Ah, ah, ah, ah!!! Olha, vês, de facto está magnífico, mas... há coisas que não explicamos... é lindo, mas não me moveu... acreditas que as coisas que escreves mexem mais comigo? Gostei sobretudo do último excerto... obrigada por tudo, minha querida, tu é que tens sido uma luz para mim, nos últimos tempos, tu e a nossa Muguet querida. Beijos grandes.

Oliver Pickwick disse...

Confesso a minha incapacidade de escrever a dois. O mais incrível é a coerência do início até o fim, como se uma escrita de apenas um escritor. Estão de parabéns pela proeza, além da qualidade do texto.
Beijos!

Falando de Amor disse...

Bom passar por teu cantinho e desfrutar de tuas postagens maravilhosas...boa noite e um abraço poético!

Teté disse...

Um tempo que corre em ritmo alucinado ou decorre em câmara lenta, transformando-se ele próprio no monstro e na medida da nossa mortalidade...

Muito poético, este texto a duas mãos!

Parabéns e jinhos, a ambos.

su disse...

lenita: Não fazemos. Pelo menos, penso que não acontece de propósito. Aconteceu. Há escritas que se completam quando se quer dizer mais ou menos o mesmo...tu fazes o mesmo comigo e eu assimilo perfeitamente o que dizes de uma maneira salutar e equilibrada. :))
Novalis é muito bom. penso que só o descobri quando andava na faculdade mas nem era livro ou autor de prorgama de alguma cadeira em específico. Era algo que descobri assim sem querer mas com todo o gosto...um romãntico gótico muito, muito dark na sua escrita. Obrigado pelo que dizes...é tão bom saber que conseguimos "tocar" seja de que maneira for nas pessoas ao nosso redor...um beijo imenso e iluminado para ti!

oliver: Foi algo que decorreu sem ser combinado e de um modo muito natural e talvez seja assim que as coisas resultem em termos de escrita, salvo algumas excepções, claro! Mas muito obrigado pela tua apreciação! Grande prosador! :))

falando de amor: Muito obrigado por essa passagem e pela consideração! Beijinhos.

teté: E grande conclusão a tua, mesmo bem para culminar este mesmo texto!! É verdade, um alucinado que apresenta na sua forma mais nua e verídica o tempo e a consciência que se tem dele. Um beijo grande, amiga.

bono_poetry disse...

...su...

...para ja peter murphy...sou do tempo em que caiu qq coisa !!!bahaus!!!era um menino e ja vestia de preto!!!a minha mae quase me matava!!!as fotos estao simplesmente enredadas nas palavras...well agora que reli ...confirmo que estou surpreendido com o efeito delas!!!
encaixam sim...well tenho de te ler ainda mais x...inspiras o insano em mim!!!

su disse...

bono: Peter Murphy e Bauhaus era da "minha música" quando era mais nova também...e o preto que me assaltava já nessa altura ensandecia a minha mãe também! São estas coisas que acabam por construir as nossas personalidades e as almas de cada um de nós, que nos definem como pessoas. Como diz o taliesin: "Sabendo o que alguém ouve, muitas vezes, consegue-se o retrato da pessoa que o faz"! ;)
Deduzo então que gostaste dos acompanhamentos que juntei às palavras...as fotos e a música. ;)

O insano é a verdadeira expressão contida de dentro de nós...porque não libertá-la também?!

/t. disse...

¤ ¤ ¤

/t.

Rangel Castilho disse...

Salve, Su!

Venho cá respirar novos versos,
densos, profundos...

Parabéns, minha querida!

Abraço Pantaneiro.

su disse...

/t: All very simbolic!! ;)

Rangel: Obrigado pela tua visita. É sempre um prazer renovado receber-te aqui pelos fios da Teia. Beijinhos lusitanos!

Ruela disse...

fantástico!!!




gostei do visual e do recheio,
acompanhado pela bela melodia.


cool!

Ruela disse...

esqueci-me de referir,

tenho uma grande teia tatuada no corpo...portanto


gostei ;)

su disse...

ruela: Obrigado pelas apreciações. As palavras que falem sempre por si...mas esta música é de facto fantástica e intemporal!
Uma grande Teia?! FABULOSO!!! Isto dos fascínios pelos aracnídeos e suas obras de arte é o que dá... Bem -vindo aos fios da Teia e beijinhos.

Gerlane disse...

Estonteante!...Senti-me descendo e subindo em uma montanha russa(...)a mil km por segundo!

Gostei...muito!

Beijos!

su disse...

gerlane: E eu gostei muito dessa nova imagem que escolheste para usar aí no teu perfil. Linda! Muito obrigado pela tua opinião...é bom saber o que vamos provocando nos outros. Beijinhos bem grandes.

Menina do Rio disse...

Escrito a dois mas numa sintonia afinadissima! Um jogo de palavras desfilam como véus entre a sombra e a claridade, onde a nudez da alma baila
num sentir que não se apaga nem na mais negra noite...

Um beijo pra ti

Azer Mantessa disse...

dear su ...

as always, flowery deepening words, affecting pics and music.

Silence disse...

Olá!

Bem cantar essa música, vai ser mais complicado lol por acaso não conhecia :P

hehehe
Beijinho!

PoesiaMGD disse...

A sua escrita é primorosa!
Deixo um convite:

http://www.escritartes.com/forum/index.php?referredby=3

Bjs

tonsdeazul disse...

Lindíssimo este diálogo a duas vozes! E as imagens acompanham muito bem as palavras! Estão de parabéns!
Beijos, beijos

su disse...

menina do rio: Há por vezes luzes em determinadas sintonias que não se apagam na mais negra noite, tens razão. Muito obrigado e beijos para ti.

azer: Thanks for your apreciattion. Coming from an artist as you is very nice! ;)

silence: She Wants revenge é um grande grupo que faz recordar músicas de outros tempos! Era a música que me lembrei na altura! ;))

poesiamgd: obrigado pelo convite. Já estou inscrita na Escritartes...mas vou tentar entrar nesse link!

tons de azul: O objectivo era realmente encontrar uma combinação que batesse certa. Obrigado, amiga. Beijinhos grandes.

un dress disse...

gosto muito de peter murphy

e já ouvi muto cascade,,,

tive um coup de foudre com 2 ou 3 das músicas desse álbum! :))




beijO

Serenidade disse...

Esta escrita a duas mãos ficou magnifica e com uma intensidade alucinante. O tempo esse que tanto nos tira como nos dá...

Serenos sorrisos

Borboleta disse...

Mais texto fantástico, escrito a dois, o que torna tudo mais intenso e belo :) E a música!! Essa está deliciosa a acompanhar as vossas palavras :D Amei!
Beijinhos

Som do Silêncio disse...

Muito...mas muito bom!

Gostei muito!

Beijo

© efeneto disse...

Aquele pequeno quadro a óleo
que na rua vi pintar
colheu-me a atenção.
A beleza figurativa do tema,
a delicadeza da autora.
O dinheiro é pouco
estamos no fim do mês.
Com esforço compro-o.
Nele diz:
Amigo/a BOM FIM DE SEMANA

Paulinha disse...

Mais uma vez adorei. E é magnífico o modo como ilustras os teus pensamentos verbais. Um beijinho

Papoila disse...

Fantástico este texto a duas võzes que se assim se harmonizam e completam e integração perfeita e absoluta das imagens!
De cortar a respiração!
O tempo... o tempo...!
Beijos

su disse...

un dress: peter Murphy é sempre um reviver delicioso; uma voz magnífica que ultrapassa as leis do "mistério" se é que existem leis! :))

serenidade: É verdade, o tempo faz de tudo em nós...ou será que somos nós que fazemos de tudo ao tempo?! :)) Beijinho grande.

borboleta: Obrigado...palavras que combinam só podem fazer diferença!! ;) Beijinhos grandes.

som do silêncio: Obrigado. Há muito tempo que não te "via" pela Teia. Beijinhos GRANDES.

efneto: Um bom fim-de-semana que seja sempre tempo de restaurar energias... :)

paulinha: Muito obrigado pela tua consideração...acho extremamente importante a aliança entre a imagem e a palavra. É outra forma de poesia. :)) Beijinhos.

papoila: Pois é...andamos sempre à volta do Tempo... :)) Muito obrigado pelas palavras. Beijinhos grandes.